Lisboa Dance Festival muda-se para o Beato e já tem primeiras confirmações

Festival realiza-se dias 9 e 10 de Março. No cartaz terá NAO, Nosaj Thing, Joe Goddard, Midland e Saoirse, entre outros nomes a anunciar brevemente.

Antigo complexo fabril, situado na parte oriental de Lisboa, foi durante a Guerra Colonial um centro de produção e armazenagem de bens alimentares para as Forças Armadas. Vai ser o Hub Criativo do Beato em 2018 e o novo espaço do Lisboa Dance Festival, evento de música urbana que regressa à capital dias 9 e 10 de Março.

“O Beato, uma das zonas da cidade mais efervescentes, com um forte cunho underground e muito pouco tocada pelo lado mainstream, é a evolução natural do Lisboa Dance Festival”, lê-se no comunicado enviado às redacções. A arquitectura Estado Novo do espaço que no futuro será o Hub Criativo do Beato é bem representativa dessa época – linhas austeras e industriais que vão de encontro não só da emergente tendência trash como do ADN do festival: o despertar do que outrora estaria obsoleto e o reconhecer do encanto e potencial do que seria visto como apenas degredo.

Além do local que acolherá a 3ª edição do Lisboa Dance Festival, foram anunciados os primeiros nomes deste festival de música electrónica e hip hop. São eles: NAO, Nosaj ThingJoe GoddardMidlandSaoirse.

Os passes vão aumentar de preço até ao Lisboa Dance Festival. Para já, custam 20 euros, mas o preço final será de 50 euros. O bilhete de um dia vai manter-se nos 30 euros.

NAO

A britânica NAO é a confirmação absoluta da diferenciação do festival. Inspirando-se em vários géneros musicais, todos eles ancorados à raiz da dança, Neo Jessica Joshua (aka NAO) vem a Portugal apresentar o trabalho que tem estado a desenvolver e que, muito recentemente, desvendou através do primeiro single: “Nostalgia”. Da electrónica ao R&B, passando pelo funk e com um tremendo bom gosto e vibe.

Nosaj Thing

É precisamente a “vibe” que distingue Nosaj Thing. Norte-americano de ascendência coreana, o produtor, que já trabalhou com Kendrick Lamar, Chance the Rapper e Kid Cudi, apresenta-se no Lisboa Dance Festival em formato live com um espectáculo conceptual que muito espelha o requinte do seu álbum Parallels, “um exercício de exploração e de procura de outros universos (…) da eletrónica, passando pela música ambiente e hip hop”, uma ligação total entre alma e máquina.

Joe Goddard

Quem também tem um currículo invejável de colaborações é Joe Goddard. O músico dos Hot Chip e 2 Bears já remisturou Kraftwerk, New Order, Disclosure, Dirty Projectors, The Chemical Brothers, e produziu para Franz Ferdinand e Bernard Sumner. O produtor que, muito recentemente, andou em tour com os LCD Soundsystem, vem ao Lisboa Dance Festival, em formato live, apresentar Electric Lines, o seu novo álbum, um retracto panorâmico da sua carreira musical, passando pelo house, techno e disco até ao UK garage, R&B and electro-pop.

Midland

Midland é outro dos nomes confirmados. Sem rodeios, um DJ de house sempre em constantes aproximações ao funk e ao techno. Recentemente, editou, FabricLive94, apresentando o trabalho no reaberto Fabric, em Londres, casa-mãe do que mais inspira a música electrónica na Europa.

Saoirse

Quem nos deixa às voltas com o nome é a irlandesa Saoirse. Quando o soubermos pronunciar correctamente, vamos ouvir dub, ambient, house, jazz, electro, garage, techno e algumas surpresas. Dona duma extensa e diversificada discografia em vinil, Saoirse tanto está como peixe na água lado-a-lado com Ricardo Vilallobos, em Ibiza, como com Objekt, em Paris. Radicada, actualmente, em Londres, a progressão musical da DJ foi premiada recentemente com um “RA mix of the day”. Saoirse, um nome a reter.

Previous FOX+ chega a Portugal porque a forma de ver séries mudou
Next Kevin Spacey cai da cadeira de presidente