Glovo: a app que te entrega tudo em qualquer lado

De chocolates a medicamentos, a Glovo é uma comunidade de estafetas que te traz tudo o que tu pedires, estejas em casa ou noutro sítio qualquer.

Nasceu em Espanha, estando disponível em várias cidades de Barcelona a Milão, passando por Madrid, Roma e Paris. Acaba de ser lançada em Lisboa. Falamos-te da Glovo, uma app que te traz à porta de casa (ou do escritório) aquilo que decidires pedir. Pode ser literalmente qualquer coisa.

A Glovo foi fundada em Janeiro de 2015 por Oscar Pierre – um empreendedor de 25 anos que, segundo a Forbes, é um dos jovens com menos de 30 anos a seguir – e começou a operar em Março desse ano em Barcelona, a sua terra natal. O serviço consiste numa aplicação para iOS e Android através da qual é possível encomendar comida, mercearias, livros, medicamentos, flores, cervejas… ou fazer pequenas entregas, seja para dar um presente a um amigo ou para ir a casa buscar as chaves de que nos esquecemos.

Por cada viagem é cobrado uma taxa de entrega (costuma rondar os 1-2 euros), definida consoante a distância e em parceria com o estabelecimento comercial, que surge descriminada na aplicação durante o processo de encomenda. Os estafetas chamam-se glovers e, como andam de mota ou bicicleta, podem transportar até 9 Kg de peso e um volume máximo de 40 x 40 x 30 cm.

A Glovo está, neste momento, em Lisboa a recrutar glovers e promete um rendimento até 8 euros/hora, oferecendo um horário flexível, assente numa lógica de trabalho independentes. Lá fora, a Glovo diz ter mais de 2500 glovers registados e 3 mil estabelecimentos associados.

Em Lisboa, a Glovo mostra restaurantes e cafés como o Starbucks, o Amorino, a Pastelaria Batalha, a Confeitaria Nacional, o Atalho Real, a Pizzaria Zero Zero, a Hamburgueria do Bairro, o Casanova, o Nood ou o Prego da Peixaria; lojas como a Florista, a Zara ou a Calzedonia; farmácias ou supermercados como o Pingo Doce.

Os pagamentos das entregas são feitos através da Glovo, por cartão de crédito, mas é sempre possível dar uma gorjeta aos estafetas. O serviço funciona 24 horas em Madrid e Barcelona; em Lisboa está disponível num horário mais limitado e também não está disponível em toda a cidade – zonas como Benfica ou o Lumiar estão para já de fora.

 

Previous Regresso ao futuro: o Web Summit visto pela lente de antigamente
Next Governo simplificou o acesso aos serviços públicos online