Não existem barreiras para Rick and Morty

A visão multidimensional do Universo volta a inspirar criação artística.

O graffiter austríaco Lushsux começou a divulgar, este domingo, imagens de uma corajosa viagem que fez junto ao muro ilegal construído pelo estado de Israel na zona da Cisjordânia.

Inspirado pela visão multi-dimensional do universo, Lushsux usou a sua linguagem artística para desafiar a visão normativa que impera naquele local. O resultado é um misto de arte visual e activismo político, ajustado aos novos tempos e com uma audácia louvável. Lushsux pega em algumas da referências mais conhecidas da série, nomeadamente as múltiplas transformações do avô Rick para nos oferecer novas interpretações sobre a realidade local.

O famosíssimo Pickle Rick vira Kosher Pickle, numa referência à lei da alimentação judaica, que só permite alimentos considerados apropriados – kosher –, e num graffiti com história, conforme faz saber no seu tweet.

Nota curiosa ainda para a forma como o artista menciona Morty online. Os três parêntesis, conformem se podem ver no tweet abaixo, que separam o nome da frase, são uma espécie de código online utilizado por grupos de extrema direita para identificar utilizadores judeus.

De resto, não foi só Rick and Morty que serviu de inspiração para o austríaco que até se aproveitou das redes sociais para criar uma peça interactiva – chamemos-lhe assim – protagonizada pela figura do comediante Larry David. E  ainda teve tempo para assinar um irónico retrato de Nelson Mandela* no mesmo muro.

Na obra que aparece identificada como Mandela, Lushsux troca as voltas ao público trocando o activista político africano pelo consagrado actor Morgan Freeman, materializando uma confusão comum em algumas cabeças.

Para além da marca nas paredes, Lushsux vai dinamizar uma Masterclass de graffiti na Palestina entre os dias 20 e 22 de Outrubro. Lushsux vale-se assim da sua passagem por uma das zonas de crise no mundo, onde diariamente o povo palestiano convive com situações de opressão, para recorrendo a icones da cultura pop, desafiar o mundo a um novo olhar.

A postura interventiva não é estranha a este graffiter sem constrangimentos. Nas suas contas de social media é possível perceber o seu foco em temas politicamente relevantes como é o obvio caso de Donald Trump, figura que marca o seu corpo de trabalho nos últimos tempos. De resto nem a morte de Hugh Hefner ou o polémico caso de Harvey Weinstein passaram despercebidos ao street artist que pediu aos seus seguidores memes que realcem a misoginia destas duas figuras de proa da cultura norte-americana para que os possa transformar em grafitis.

Em sentido inverso e numa última nota, dizer que já na série de animação, num dos episódios em que surge o mítico pickle, Israel é tema central de reflexão. 

Previous A confirmação de peso que confundiu o Web Summit (e toda a gente)
Next Jibóia e um Verão que teima em não terminar