Esta é a nova família da Google para competir com a Apple

A Google volta a integrar o hardware, o software e inteligência artificial na sua nova família de produtos.

A nova família da Google

Uma vantagem que é costume atribuir à Apple é o controlo de dois elementos do processo de produção – o hardware e o software – para uma experiência suave e integrada. No ano passado, a Google decidiu entrar no mesmo jogo e este ano voltou integrar o hardware, o software e inteligência artificial nos seus novos produtos “made by Google”.

No artigo em baixo, falamos-te do seguinte hardware:

  • Google Home Mini: uma coluna pequena e inteligente
  • Google Home Max: uma coluna para ouvir música em alto e bom som
  • Google Pixelbook: um portátil que também é tablet
  • Google Daydream View: uns óculos para explorar o maravilhoso mundo VR e AR

Podes também ler sobre os telemóveis Pixel 2 e sobre a câmara Google Clips.

Mini e Max juntam-se à família Google Home

O Google Home é o altifalante inteligente que concorre com a Alexa da Amazon e com o HomePod da Apple. Com um assistente digital incorporado, serve para responder a comandos de voz e ajudar no quotidiano.

Google Home Mini

Agora há dois novos produtos com funções semelhantes. O Google Home Mini é mais pequeno e acessível. É redondo e projecta o som em 360º. Vem com um tecido (disponível em “coral”, “giz” ou “carvão”) que esconde quatro LEDs indicativos do funcionamento do aparelho. A superfície é também sensível ao toque. Portugal não está na lista dos países onde vai chegar, mas vai custar 49 dólares no mercado americano.

Já o Google Home Max é um altifalante maior para quem tem mais dinheiro para investir na qualidade sonora. O Google Home Max tem um alcance suficiente para “preencher qualquer espaço da casa” e é “obcecado pelo baixo. Além disso, incorpora a função Smart Sound que adapta o produto ao contexto. Por exemplo, quando se coloca o Max numa prateleira ou junto a uma parede há uma utilização especializada para não distorcer o som. Vai custar 399 dólares nos EUA e oferecer o serviço YouTube Music durante 12 meses.

Ambos vêm com uma nova função Broadcast que transmite uma mensagem para todos os produtos Home da casa. Ou seja, se a mãe na sala disser “Broadcast: it’s time to go to school” todos os outros produtos na casa (sejam Home, Home Mini ou Home Max) vão ler essa mensagem.

Google Home Max

Pixelbook: um portátil que também é tablet

Desde 2013, com o Chromebook Pixel, que a Google não lançava um portátil topo-de-gama. O novo Pixelbook disponibiliza um design “4-em-1” num quilograma de peso e dez milímetros de espessura.

Google Pixelbook

O portátil tem um ecrã de 12,3 polegadas sensível ao toque e com resolução Quad HD (235 píxeis por polegada). O teclado é fino e retroiluminado, com tecla dedicada ao Google Assistant. Ao nível da performance, a Google apetrechou o laptop com os i5 e i7 da Intel, RAM até 16 GB e armazenamento SSD até 512 GB.

A bateria é carregada através de uma entrada USB-C e por isso podes usar o mesmo carregador para o portátil e para o telemóvel. De acordo com a marca, dura 10 horas e em 15 minutos carrega para duas horas de utilização.

Há ainda uma caneta nova para interagir com o Google Assistant. A Pixelbook Pen permite seleccionar uma parte do ecrã que se quer mais bem explicada pelo assistente digital. Além disso, também pode ser utilizada para tirar notas ou fazer ilustrações.

O Pixelbook suporta as apps da Google Play Store. Vai chegar aos EUA por 999 dólares. A caneta vai custar 99 dólares americanos. Não há chegada prevista para Portugal.

Uma actualização aos Daydream View

Os óculos de realidade virtual da Google também vão ter uma nova versão. Tirando partido das capacidades dos novos Pixel, o dispositivo vai fornecer ainda experiências de realidade aumentada.

Google Daydream View

São feitos de materiais mais confortáveis nas cores dos Pixel (“coral”, “giz” e “carvão”). Vai ser possível partilhar na televisão o que o utilizador está a ver nos Daydream View. Portugal também não está na lista dos países que vão receber o produto. Os Google Daydream View vão custar 99 dólares.

Previous Pixel 2: este é o novo “iPhone da Google”
Next Google Clips: uma câmara que fotografa... sozinha