Millennials portugueses são a favor da Eutanásia, do aborto e da igualdade de direitos

O estudo “All About Geração Millennium”, realizado pela CH Consulting, comparou 5 países da OCDE num universo de 5 mil inquiridos.

Eutanásia

Segundo o estudo “All About Geração Millennium”, realizado pela CH Consulting, mais de 80% dos portugueses entre os 18 e os 34 anos são a favor da eutanásia, para além de desejarem que os homossexuais tenham tratamento igualitário no campo dos direitos famíliares e sonharem com um futuro profissional melhor que o dos seus progenitores.

Os investigadores quiseram conhecer melhor os millennials, tendo para isso comparado atitudes e opiniões desta geração em cinco diferentes países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) através de uma amostra de cinco mil pessoas, inquiridas entre janeiro e março deste ano. A forma de agir e pensar destes jovens adultos portugueses é muito semelhante à dos espanhóis, franceses, ingleses e norte-americanos, conforme demonstra o estudo

Os resultados mostram que mais de 80% estão de acordo com a regulamentação da eutanásia. Em Portugal são 87,5%, sendo que a França é o país que surge melhor posicionado acerca deste tema, atingindo quase a unanimidade, com 98,5% a favor. A grande maioria dos millennials portugueses defende ainda que os homossexuais devem ter um tratamento de igualdade em todos os Direitos de Família (82,4%) e que a Interrupção Voluntária da Gravidez deve manter-se como uma opção legal (84,3%).

A maioria dos millennials não aprecia viver isolado, prefere antes viver com familiares ou partilhar casa com amigos. Um em cada quatro (83,4%) não tenciona sair de casa dos pais nos próximos cinco anos, período em que acreditam que os seus rendimentos aumentarão de forma significativa. Neste âmbito, os portugueses continuam a ser os que mais querem comprar casa, mas, comparando com as gerações anteriores, este deixou de ser um projeto de vida: apenas quatro em cada dez têm esse plano. Esta geração distingue-se também das restantes por estar mais aberta a comprar produtos em segunda mão. Ainda assim, os portugueses ainda são os menos recetivos, apenas 71,1% preferem um produto usado em bom estado a um novo.

Cerca de metade dos inquiridos assume que os amigos exercem influência no momento de fazer compras, sendo as compras online uma tendência em crescendo que já ronda os 80% da taxa de preferência. Comprar um produto de luxo ou alta-costura começa também a ser mais normal: entre os europeus inquiridos, os portugueses são os que mais o fazem (23%).

Esta geração apresenta bastante optimismo em relação ao futuro, acreditando que irá alcançar maior sucesso profissional do que os pais (79% dos portugueses) e que irá viver mais anos do que estes (71,6%). Conhecidos por serem os que têm mais formação académica de sempre, a maioria diz gostar do seu trabalho (em Portugal são 62,8%), mas apenas um em cada três conseguiu realizar um estágio remunerado.

A maioria dos inquiridos gasta entre uma a três horas por dia a navegar na internet (em Portugal são 46,9%) com exceção dos norte-americanos, onde um em cada quatro jovens adultos está mais de cinco horas ligado (26,5%). Os millennials, também conhecidos como Geração Y, representam 25% das pessoas em todo o mundo e, em Portugal 19,2%, cerca de dois milhões.

Previous Kelela roubou-nos o coração ao som de Sade
Next As redes sociais tornaram-se uma ameaça directa à democracia