Oculus Go: pode a realidade virtual chegar a mil milhões de pessoas?

Os novos óculos VR que funcionam sozinhos, sem telemóvel ou PC.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, tinha prometido no ano passado um novo tipo de óculos de realidade virtual (VR) – uns que operassem sozinhos, sem o requisito de um determinado modelo de telemóvel ou de um computador com certas especificações. Esses óculos foram relevados esta semana na habitual conferência para programadores da Oculus, a divisão de VR do Facebook. Chamam-se Oculus Go.

Vão chegar ao mercado norte-americano no próximo ano por 199 dólares – não muito mais que os Gear VR (de 129 dólares, que precisam de um smartphone Samsung para funcionarem) ou dos Oculus Rift (agora de 399 dólares, que funcionam com um computador de cerca de 1500 dólares). Os Oculus Go são apenas uns óculos que te permitem entrar no novo mundo da realidade virtual, sem a complicação de estar ligado a um telemóvel ou computador e a um preço acessível.

Os Oculus Go têm um ecrã LCD com resolução de 2560×1440 pixels e colunas de som integradas, que permitem escutar o que se passa na realidade virtual sem necessidade de auscultadores (no entanto, existe uma entrada de 3,5 mm para os mesmos). As aplicações disponíveis nos Oculus Go são as mesmas que podes encontrar nos Gear VR, o que para os programadores significa zero trabalho, uma vez que não vão ter de fazer qualquer adaptação para o novo equipamento.

Zuckerberg diz que o objectivo da Oculus é levar a realidade virtual a mil milhões de pessoas – para tal, preparou uma família de três produtos: o Gear VR, o Oculus Go e o Oculus Rift. Estes últimos baixaram de preço – de 499 para 399 dólares – e vão ter uma nova versão em 2018. O protótipo chama-se Santa Cruz e, além de um design polido, distingue-se do actual modelo por não precisar de cabos para comunicar com o PC ou de sensores de tracking.

Além das novidades de hardware, a Oculus anunciou um novo software para os Rift. Entre as novidades, está uma nova forma de navegar no menu – que passa a ter o aspecto de uma mesa circular, onde podemos escolher as apps que queremos abrir e utilizar. Chama-se Oculus Dash.

Previous Pokémon Go terá sido usado pelos russos para agitar tensões raciais
Next Os animais de estimação vão poder entrar em restaurantes