Jameson Urban Routes: o festival de Outono está de volta a Lisboa

De 24 a 28 de Outubro, muita música vai passar pelo Musicbox, em Lisboa.

Do rock à música electrónica, a programação de mais uma edição do Jameson Urban Routes conta com 6 concertos de lançamento de discos de artistas de destaque no panorama na música nacional e internacional. De 24 a 28 de Outubro, no Musicbox, em Lisboa.

No dia 25 de Outubro, LONE apresenta no clubbing a mistura lançada pela DJ-Kicks no final do mês de Setembro. O universo sónico do produtor e DJ britânico combina Techno, Hip Hop, Ambient e outros géneros musicais, criando uma atmosfera vibrante e imersiva.

No dia 27 de Outubro, uma sessão inteiramente dedicada ao rock traz os Black Lips a Lisboa com o seu mais recente disco, Satan’s Graffiti or God’s Art, lançado em Maio de 2017 pela secção discográfica da Vice. A icónica banda de Garage Rock de Atlanta regressa aos seus primórdios neste novo trabalho, mantendo o espírito rock n’ roll e a estética Punk a que sempre nos habituaram.

No clubbing do mesmo dia, Sherwood & Pinch – a dupla que junta Adrian Sherwood, nome incontornável na produção de Dub, e Rob Ellis, a.k.a Pinch, referência no Dubstep em Bristol, apresenta o seu segundo álbum colaborativo Man Vs. Sofa, editado neste 2017. Os dois produtores juntam mais uma vez os seus universos e trazem à pista de dança um trabalho diversificado mas coeso, que mistura sonoridades Funk, industriais, Grime ou até mesmo minimalistas.

No último dia do festival, 28 de Outubro, a primeira sessão dá a conhecer os mais recentes trabalhos de projectos da Pop e Electrónica nacional e internacional no feminino. Surma, projecto a solo de Débora Umbelino, apresenta o tão aguardado álbum de estreia Antwerpen (2017), a ser lançado no próximo dia 13 de Outubro. Uma one-woman band de guitarras, teclas, pedais, sintetizadores e loop stations, que procura não se prender a rótulos no que toca a definir a sonoridade da sua música, trabalhando um conjunto de elementos que vão do noise ao experimental, passando pelo jazz e pós-rock.

Austra, projecto de Synth Pop da canadiana Katie Stelmanis, vem pela primeira vez a Lisboa apresentar o seu terceiro álbum de estúdio, Future Politics, gravado pela Domino Records. Lançado no dia da tomada de posse de Trump, no início deste ano, Austra alerta para a urgência de evitar que as distopias fictícias que retratam uma sociedade alienada se tornem reais num futuro próximo. A electrónica lembra por vezes Björk, sendo que o recurso à electrónica minimalista e os ambientes criados pelos sintetizadores conferem um cenário futurístico a este trabalho, relembrando-nos que este não é apenas um disco para rodar nas pistas de dança e dançar de forma descomprometida.

Ainda no Jameson Urban Routes, no dia 26 de Outubro, o trio brasileiro de rock e pop experimental O Terno apresenta no Musicbox Melhor Do Que Parece, considerado o melhor álbum de 2016 pelo jornal brasileiro O Estado de São Paulo. Apresentando uma versátil e consolidada identidade sonora da banda, a nível lírico e melódico, Melhor Do Que Parece é um disco de canções banhadas a sol e praia que nos levam de volta ao surf rock dos anos 1960.

De seguida podes consultar a programação completa. Mais informações no site do evento.

Programação completa

24 de Outubro

  • 21h30 – Havoc (Mobb Deep) feat. Big Noyd – 15 euros

25 de Outubro

  • 21h30 – Black Bombain & Peter Brötzmann + Scúru Fitchádu – 15 euros
  • 0h30 – Lone + Caroline Lethô – 12 euros
  • 3h00 – Solution – 10 euros (venda no dia, na bilheteira)

Passe diário: 25 euros

26 de Outubro

  • 21h30 – You Can’t Win Charlie Brown + O Terno – 12 euros
  • 0h30 – Laid Black + Captain Casablanca – 15 euros
  • 3h00 – Xinobi feat. Da Chick – 10 euros (venda no dia, na bilheteira)

Passe diário: 22 euros

27 de Outubro

  • 21h30 – Stone Dead + Black Lips – 20 euros
  • 0h30 – Sherwood & Pinch – 12 euros
  • 3h00 – Gusta-vo – 10 euros (venda no dia, na bilheteira)

Passe diário: 27 euros

28 de Outubro

  • 21h30 – Ela Minus + Surma + Austra – 12 euros
  • 0h30 – Bateu Matou + Nigga Fox – 12 euros
  • 3h00 – Tapes – 10 euros (venda no dia, na bilheteira)

Passe diário: 20 euros

Previous O livro português sobre IA que Bill Gates recomendou
Next Netflix defende-se de polémica sobre investimento milionário no Canadá