O guia de sobrevivência do jazz em documentário

'Those Who Make It Happen' é um trabalho de José Dias.

A culpa foi nossa quando deixámos o Jazz tornar-se erudito. A sua força correspondia quase à da música Pop actual, assistia-se a concertos, e dançava-se tal e qual como numa discoteca. O que é feito do Jazz hoje em dia?

Primeiro, um bocadinho de contexto. O Jazz é um género musical que nasceu há cerca 100 anos atrás. Na verdade o primeiro disco de Jazz faz este ano exactamente 100 anos. E a pergunta que surge em resposta a este facto é invariavelmente “Como é que um estilo musical consegue sobreviver a tanto tempo?”. Obviamente sofrendo alterações e mutações com o decorrer do tempo, ao ponto de já se diferenciar por nomenclaturas dispersas, como free jazz, música improvisada, fusão, etc. Para além disso, existe a luta quotidiana da sua sobrevivência. É essa luta diária que serve de protagonista do documentário Those Who Make It Happen.

O filme dá a conhecer quem está por detrás desses acontecimentos em Portugal e na Europa e foi dirigido por José Dias, músico, doutorado em Etnomusicologia pela FCSH, actualmente professor na Universidade Metropolitana de Manchester. Chama-se Those who make it happen e passeia por várias perspectivas a ter em conta quando se fala deste género musical.

Em vários trechos de conversa com um vasto elenco de músicos, dá-nos uma ideia clara do estado se encontra este universo musical. Desde a própria concepção musical, passando pela indústria, a noção de comunidade entre músicos, olhando até à receptividade do público. Lentamente, o documentário vai-nos apontando os pequenos detalhes e factores que vão construindo este mundo que é o Jazz.

Em pouco mais de um quarto de hora somos irrompidos por uma vontade enorme de respirar estes ares, de frequentar bares com jam sessions e de fazer parte desta cultura. É tempo de voltar a tratar o Jazz por tu.

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
  • Vasco Vilhena formou-se em melomania e sofre de adolescência amorosa com umas quantas bandas que vai encontrando por esse Spotify fora. Estudou Som na Restart com vista a poder lançar outras, e entre namoros vai escrevendo sobre, precisamente, música.

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Artigos Relacionados

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Em teste

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt