De repente, os maiores dealers ficaram offline na Dark Web

Sites que vendem droga ficaram inacessíveis sem dar qualquer nota aos utilizadores.

Alguns dos principais mercados de droga na Dark Web ficaram misteriosamente offline esta semana.

Desculpa se te apanhámos de surpresa com a informação de que há sites secretos a vender – traficar, leia-se – droga num beco da internet, mas não tínhamos outra forma de começar esta notícia. Segundo reportaram alguns redditors e confirmou ao The Next Web um insider da Dark Web, os principais mercados paralelos – Dream Market, Trade Route, Tochka e WallStreet – desapareceram sem dar qualquer nota aos utilizadores.

https://twitter.com/Sh1ttyKids/status/918766964503228416

https://twitter.com/josephfcox/status/918769948352237568

O assunto causou algum pânico na internet; alguns utilizadores recordam que ataques de DDoS – que colocam os sites offline – costumam anteceder acções judiciais consertadas e o desmantelamento dos sites.

Embora neste caso não haja ainda informações sobre o que passa ou se vai passar, certo é que a atenção das autoridades parece estar cada vez mais virada para os seus cantos escuros da internet. Em Julho passado, a polícia holandesa, a Europol, o FBI e a DEA revelaram uma operação conjunta de que resultou a morte do AlphaBay e Hansa, dois mercados online semelhantes aos que agora se encontram em baixo.

Nessa operação, a polícia holandesa anunciou ter conseguido aceder a detalhes sobre compradores e vendedores, o que pode ter permitido abrir novas portas a investigações sobre a complexa rede de mercados online.

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Artigos Relacionados

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Em teste

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt