Conferência sobre blockchain e criptomoedas estreia-se em Lisboa

Temos 10 bilhetes com 50% de desconto para ti.

O blockchain é um admirável mundo novo, que só agora estamos a começar a descobrir e que pode vir a definir uma internet descentralizada no futuro – uma rede em que os serviços não estão concentrados numa só pessoa ou entidade, mas sim distribuídos pelas mãos de milhões de utilizadores. Para já, o blockchain é particularmente conhecido por ser a tecnologia base das criptomoedas, como o Bitcoin e o Ethereum, mas pode ganhar um papel de destaque noutras áreas, como é o caso do voto eleitoral.

O blockchain, as criptomoedas e a internet descentralizada serão alguns dos pontos de partida da primeira edição da Blockspot Conference, que encontrou em Lisboa a sua casa. “A escolha da capital lusitana é estratégica, a cidade fica há menos de 3 horas de outras principais cidades europeias, como Londres, Madrid, Paris e Milão, além de ter uma infraestrutura adequada para receber eventos”, lê-se no comunicado divulgado.

A Blockspot Conference realiza-se dia 13 de Novembro e o bilhete pode ser adquirido online. Com o código SHIFTER50OFF, podes ter 50% de desconto – o pagamento pode ser feito em euros ou numa criptomoeda; e só existem 10 bilhetes com desconto. Aliás, quem pagar em bitcoin ou outra criptomoeda tem um desconto adicional de 20%. As vagas são limitadas a 250 participantes.

A Blockspot Conference vai reunir especialistas em blockchain de Portugal, Irlanda, Suíça e Estados Unidos. São eles:

  • Justin Wu: fundador da primeira empresa de desenvolvimento de aplicações baseadas em blockchain em Portugal, o Etherify.io, e um dos precursores da tecnologia no país.
  • Sergei Gritsenko: director de operações da Rentberry, concorrente do Airbnb que reúne mais de 200 mil imóveis registados e 4 milhões de dólares em investimento. Sediada em Silicon Valley, esta empresa está a desenvolver uma tecnologia que usa contratos inteligentes baseados em blockchain para revolucionar a forma como os depósitos-caução são realizados no mercado;
  • Angel Versetti: director executivo da Ambrosus, empresa suíça de tecnologia que está a desenvolver uma plataforma baseada em blockchain e sensores para assegurar a qualidade de alimentos e medicamentos na cadeia mundial de distribuição;
  • Anderson Mccutcheon: co-fundador do Synero, uma plataforma que visa descentralizar a economia da atenção na internet e dar poder aos criadores de conteúdo original, sem intermediários. A empresa diz está a criar o futuro da criação, publicação e distribuição de conteúdo;
  • Graham de Barra: director executivo da Opera Incubator, uma empresa irlandesa que trabalha junto do Parlamento da União Europeia para fazer de Cork a primeira cidade blockchain do mundo;
  • Roger Benites: director executivo da casa de câmbio BitInka Plataform, que está presente em mais de 10 países na América e Europa, comprando e vendendo bitcoin e outras criptomoedas;
  • Tiago Aires Mateus: advogado com larga experiência no ofício, com passagens pelo Governo português e experiência em direito corporativo, irá discutir sobre as implicações legais do blockchain;
  • Gonçalo Sá: engenheiro na Consensys, a maior empresa dedicada a Ethereum e a Web 3.0 do mundo.

Além das palestras, a Blockspot Conference vai ter uma mostra de empresas que estão a financiar-se através de ICO (Initial Coin Offer), a modalidade de venda de tokens de blockchain que tem movimentado milhões de dólares no mundo. Também será realizado o Solidity Developer Workshop, que explicará como criar aplicações descentralizadas baseadas no Ethereum.

A Blockspot Conference é organizada pela Blockspot Media, uma “empresa de divulgação, educação e networking relacionado a Blockchain, que surgiu para apoiar executivos e indústrias a adotar essa tecnologia em seus processos” e que nasceu em Coimbra. Até 15 de Outubro, os bilhetes custam 249 euros, passando a custar 329 euros depois dessa data.

Previous E se te disséssemos que a privacidade só nasceu há 150 anos?
Next "Cogumelos mágicos" podem ajudar a tratar a depressão crónica