O dia em que o Sócrates virou youtuber e o Wuant rapper

O Youtube em Portugal está de pernas para o ar.

Sócrates youtuber

Se não és um habitual utilizador do Youtube provavelmente só clicaste neste artigo para tentar perceber como raio juntámos o Sócrates e o Wuant num título. Pois bem, a verdade é que não juntámos, foi a Internet que os juntou, no Youtube. A sua proximidade surpreendeu-nos tanto como – mais uma vez provavelmente – a ti e é por isso que partilhamos algumas das nossas reações a duas explosões mediáticas tão distintas mas com um epicentro em comum.

Foi no dia 1 de Setembro que os astros se dispuseram num alinhamento imprevisível provocando mudanças estruturais no mundo digital. “Em legítima defesa” e em nome “da verdade” o ex-primeiro ministro José Socrates estreou o seu canal de Youtube. “Não vem ao caso” com a publicação de um vídeo no youtube onde endereçou alguns recados relacionados com alegações que conota ao ministério público. Poucas horas depois foi o youtuber Wuant a estrear-se como rapper no seu canal, em nome próprio e numa espécie de legítima defesa traduzida num videoclipe à Post Malone. Ya, cenas estranhas aconteceram no youtube durante os últimos dias mas o importante é reflectir e perceber como divergindo tanto, estes fenómenos se podem de algum modo relacionar. Afinal de contas é tudo menos comum ver um ex-primeiro ministro e um fenómeno juvenil jogar no mesmo campeonato.

Socratés perdeu uma boa oportunidade de criar impacto na plataforma. É verdade que desde o lançamento o vídeo já contabiliza 24 mil visualizações, contudo optar por desactivar a opção de likes e comentários é uma demonstração de pouca flexibilidade e demasiado pragmatismo numa plataforma onde o engadgement é tudo. O apoio até pode existir mas o canal acumula apenas cerca de 1000 subscritores. Apesar de todos os esforços e de até ter dividido o vídeo principal em 4 partes foi incapaz de alcançar as tendências tendo chegado ao público sobretudo através da divulgação da imprensa. É por neste jogo inevitavelmente falarmos de tendências que neste artigo surge o Wuant. O videoclipe para a música “Qualquer um faz”, em apenas 2 dias, já conta com cerca de 1 milhão e meio de visualizações e é mais uma prova de como o youtuber mesmo nadando fora de pé domina a forma para o sucesso na plataforma. Terá Sócrates algo a aprender com Wuant se quiser viralizar a sua mensagem?

Sem dúvida. Por muito interesse que possamos ter pela retórica de José Sócrates o tom do seu vídeo é claramente desenquadrado da plataforma o que nos pode dar pistas sobre os motivos para o desinteresse geracional para este tipo de conteúdos. Sim, sabemos que não apelam aos mesmos públicos mas apanhados no meio do turbilhão perguntamo-nos quantos de vocês já ouviram falar de cada um destes fenómenos? Qual dos dois consumiram ou melhor, por qual se deixaram consumir?

Aguardamos por novidades de José Sócrates ainda que sem meta de likes seja mais difícil prever um regresso. Uma catch phrase mais estridente, um tom mais cativante (bons exemplos: Beatriz Gosta), vocabulário mais simples e uma edição mais fluída podem ser algumas das diferenças entre a comunicação directa com os públicos ou a necessidade de mediação da imprensa, em todo o caso é importante à posteriori para reflectir sobre os factos. Nós próprios, com 24 anos, e para conclusão deste artigo somos obrigados a admitir: já ouvimos umas 10 vezes a música do fenómeno infanto-juvenil que, sendo directos, pouco ou nada importa mas ainda não chegámos ao final do argumentário do engenheiro José Sócrates relativa a um dos casos com mais implicações sociais e políticas a correr na justiça portuguesa.

Texto de: João Ribeiro e Marco Brandão

Previous Hemiciclo: um site bonito que mostra o que se passa na Assembleia da República
Next Alimentos em fim de prazo vão ter uma segunda vida

Suggested Posts