Nem todos estão a “aplaudir” o novo plano do Medium

A revista Fast Company partilha uma thread de tweets que questionam a nova aposta do Medium.

No final de Agosto, o Medium apresentou um novo logo – mais serifado, menos colorido mas o debate fez-se em torno de uma nova funcionalidade apresentada pela plataforma: “aplausos”. Os utilizadores do Medium podem agora “aplaudir” artigos, clicando num botão que aparece no canto inferior direito. Quanto mais aplausos um artigo tiver, mais dinheiro os autores podem receber.

Ariel Robinson, que escreve sobre privacidade e segurança, tweetou algumas considerações sobre esta funcionalidade de “aplausos” do Medium, em resposta a Ev Williams, fundador do Medium. A thread de tweets pode ser lida originalmente aqui e traduzida de seguida:

Primeiro, existem empresas inteiramente dedicadas a vender gostos, aplausos, retweets, etc.

É fácil engenhar a popularidade social de conteúdos; é algo baseado em algoritmos. Qualquer estratega de conteúdo que valha o seu sal sabe isso.

Mais decepcionantes de tudo, estamos mesmo a lidar com o que acontece quando deixamos a popularidade do leitor influenciar o conteúdo: notícias falsas.

Será que o Medium acha que é imune a isso? Logo que existam incentivos monetários envolvidos, a verdade morre.

Sou escritor profissional; vivo isto todos os dias. Foi repórter do Financial Times e freelancer, estratega de conteúdo e marketer, blogger e analista.

Lutamos já o suficiente para encontrar publicações que não nos venderão, onde podemos manter a integridade. Não quero ver o Medium seguir esse caminho.

Em resumo, como escreve a revista Fast CompanyAriel teme que um algoritmo que recorre a indicadores de popularidade para seleccionar o conteúdo que vale a pena abre caminho a notícias falsas. O Medium, recorde-se, está a tentar criar um novo modelo de negócio para media, que recompense os criadores justamente pelo seu trabalho, mas este pode não ser o melhor caminho. Anunciou essa intenção no início deste ano.

Previous Pizza de erva, um munchie terapêutico
Next Programação chega às escolas portuguesas

Suggested Posts