James Franco, prostituição e pornografia numa série

Chama-se The Deuce e é do mesmo criador de The Wire.

Se o título já te soa bem, importa dizer-te que The Deuce tem James Franco a dobrar. O actor interpreta dois gémeos, ambos com bigode, um deles é um barman que se envolve com a Máfia e o outro deve dinheiro a meia Nova Iorque.

Cada característica da nova série da HBO são pontos ganhos. Aos já acima referidos – mas que nunca são demais referir – juntam-se a história sumarenta do início da pornografia na Nova Iorque dos anos 70/80, suja e perigosa, o argumento a cargo de David Simon, o homem no leme de The Wire e um elenco e teia de personagens que nos provam que The Deuce não é só mais uma série de nudez e violência.

Maggie Gyllenhaal, Gbenga Akinnagbe (The Wire), Gary Carr (Downton Abbey), Dominique Fishback (Show Me a Hero), Lawrence Gilliard Jr. (The Wire) ou os rappers Method Man dos Wu-Tang Clan, e Tariq “Black Thought” Trotter, dos The Roots são alguns dos actores mais ou menos conhecidos que ao longo de oito episódios protagonizam o retrato que Simon desenhou da época.

O argumento centra-se nas personagens que rondam a 42nd Street, conhecida como “The Deuce”, entre prostitutas, proxenetas, polícias, jornalistas ou clientes, das mais variadas origens e classes sociais. Maggie Gylenhaal junta-se a Franco como uma dos protagonistas: uma prostituta sem proxeneta a tentar abandonar essa vida.

O objectivo, de acordo com o que o autor tem dito em entrevistas é que a série dure três temporadas, esta primeira, no início dos anos 1970, uma segunda, no final da década, já com a pornografia legalizada, e a última a meio dos anos 1980, com a indústria em declínio por causa da ascensão das cassetes VHS.

Em Portugal, estreou ao mesmo tempo que nos Estados Unidos, no TV Séries, na passada segunda-feira, 11 de Setembro. Confere o trailer de uma daquela que parece ser uma das melhores séries da temporada:

Previous O Safari não vai deixar que te sigam
Next Grupo do Correio da Manhã deve 13,5 milhões de euros