O iPhone X, o iPhone 8 e tudo o resto que a Apple anunciou

O iPhone X custa mais de mil euros e o iPhone 8 começa nos 829. Há ainda um novo Apple Watch e uma nova Apple TV.

Foi um dia recheado de novidades (algumas delas pouco novas) vindas da nova sede da Apple que homenageia Steve Jobs. Os novos modelos do iPhone, um iPhone especial de corrida, novos relógios e uma renovada Apple TV. Tudo com um toque especial: “Não há um dia que passe em que não pensemos no Steve Jobs. O seu espírito e filosofia vão ser sempre fazer parte do ADN da Apple”, afirmou Tim Cook, CEO da empresa.

Comecemos por o que realmente importa: em Novembro, os emojis (ou Animoji) vão-se mexer de acordo com a cara do utilizador no novo iPhone X (diz-se iPhone Ten). Ah e além disso, o iPhone X é o melhor iPhone de sempre – “o futuro do smartphone”, ousa-se dizer no salão de apresentações do Apple Park.

É todo ecrã, de uma borda à outra, seguindo a tendência dos últimos lançamentos da concorrência e confirmando os rumores. O design é em vidro resistente, construído de forma a sobreviver a água e pó. O ecrã Super Retina é a estrela que brilha com 2436×1125 píxeis (densidade de 458 ppi – a maior já vista num iPhone) em 5,8 polegadas. Além disso é o primeiro OLED num iPhone e ainda vem com suporte para HDR, Dolby Vision, 3D Touch e True Tone (tecnologia introduzida no iPad Pro, que adequa os tons do ecrã à luz ambiente).

Uma crítica que tem vindo a ganhar força na Internet é a forma como a Apple decidiu lidar com os sensores obrigatórios na parte da frente do ecrã (sensores de luz, câmara, altifalante…). O notch é uma barra preta durante um vídeo em ecrã inteiro e uma mancha nas aplicações:

Na opinião de alguns, a Samsung e outras fabricantes conseguiram lidar melhor com essa questão, ao não estenderem o ecrã dos seus equipamentos até às extremidades – deixando uma pequena barra preta no topo e em baixo. Na visualização de vídeos e de fotos, uma pequena parte do conteúdo vai sempre ficar cortada no iPhone X.

Mas o iOS foi, desde cedo, considerado um sistema simples por ter apenas um botão, o Home. Sem este botão foram precisas novas ideias de navegação na interface. O Home foi substituído por um gesto ascendente (swipe up) que quando mais demorado chama o menu do multitasking. Já o desbloqueio do iPhone – até agora feito com recurso a Touch ID (leitura de impressões digitais), integrado no botão Home – é feito através de Face ID. O telemóvel decora a tua cara para usares como password, seja para desbloquear o equipamento, seja para autorizar pagamentos na iTunes/App Store. Segundo a marca, funciona mesmo com outros estilos de cabelo ou acessórios porque há uma adaptação progressiva à cara do utilizador. Mas no dia da apresentação…

Para a Siri, que também era chamada com o Home, há um novo botão mais largo de lado que permite chamar a assistente virtual. Ou pode-se recorrer ao comando de voz “Hey, Siri”. Além disso o iPhone X vem com duas câmaras de 12 megapíxeis, com aberturas de f/1.8 e f/.2.4 “testadas” em primeira mão… em Lisboa! A câmara frontal também foi melhorada (até para o Face ID) e disponibiliza um novo modo de retrato, com vários filtros e efeitos de luz (Portrait Lighting).

Quanto à bateria, a Apple afirma que o iPhone X tem mais duas horas de bateria (suporta carregamento sem fios) do que o iPhone 7.

Chegará por 1179 euros para a versão de 64 GB (há ainda uma de 256 GB que vai custar 1359 euros) no dia 3 de Novembro (mas podes reservar a partir do dia 27 de Outubro). É um preço tão espantoso quanto o produto que faz levantar algumas questões já reflectidas no meme mais trendy:

Os outros iPhones: iPhone 8 e 8 Plus

Os iPhone 8 e iPhone 8 Plus são as continuações do iPhone 7. Aliás, o reconhecido youtuber Marques Brownlee (MKBHD) acha mesmo que deveriam ser 7S pelas semelhanças entre os modelos:

O design de vidro resistente mantém-se nos iPhone 8, assim como a resistência a água e pó. O ecrã não é edge-to-edge mas é Retina HD em versões de 4,7 polegadas e 5,5. O Touch ID continua presente para o desbloqueio do telemóvel. As novas câmaras também vão estar nos 8 com 83% mais de luz, sendo que a versão Plus tem dois sensores com aberturas de f/1.8 e f/2.8.

O processador é o mesmo do X – um chip A11 Bionic com seis núcleos e 64-bit. Os iPhone 8 também têm carregamento sem fios. Os telemóveis vêm em versões de 64 GB e 256 GB. A versão mais barata do iPhone 8 vai custar 829 euros e a do iPhone 8 Plus 939 euros. Não há mais rose gold. As cores disponíveis são o gold, silvergrey e podes reservá-los a partir das 8h01 de sexta-feira. Começam a chegar a partir do dia 22 de Setembro.

Mais lançamentos: Apple Watch e Apple TV 4K

Além dos iPhones, também foram reveladas as novas gerações de mais dois produtos da gigante tecnológica. O Apple Watch ganhou a Series 3 que tem possibilidade de se ligar a redes de operadoras com o mesmo número do iPhone associado. Isto permite que as apps funcionem pela rede (como a Apple Music) de forma mais autónoma. Tem um novo processador dual-core e a Siri pode falar agora no relógio mais vendido do mundo (ultrapassou a Rolex, de acordo com a marca). E chamadas. Também podes fazer chamadas no Watch sem o iPhone. O novo relógio tem vários preços a partir de 379 euros e vai ser lançado nas mesmas datas do iPhone 8 (15 de Setembro a reserva, 22 o lançamento).

A Apple TV também sofreu alterações. A box de streaming agora transmite conteúdo em 4K e HDR e vem com o processador do iPad Pro (A10X). Há várias produtores (como a 20th Century Fox, Lionsgate e Paramount) que já oferecem estes conteúdos na loja do iTunes ao mesmo preço da versão HD. A aposta é tanta que a Apple vai até substituir compras de versões HD por versões em 4K de forma gratuita. O preço base é de 199 euros.

Setembro é sempre um mês marcado em todos os calendários de tech lovers. Sejam apoiantes da marca ou adeptos menos fervorosos pela marca da maçã, é inevitável o impacto de um novo iPhone. (A título de exemplo, é muito provável que o número de carregadores sem fios aumente em produtos e espaços públicos, apesar do sistema Qi já ter sido adoptado por muitas marcas.) As inovações já eram quase todas sabidas de antemão e algumas já vistas noutras marcas, mas será a Apple capaz de continuar a convencer o público do seu vanguardismo?

Previous Tesla consegue aumentar autonomia dos seus veículos... à distância
Next O momento em que a Seleção Nacional vai jogar ao teu bairro