Inteligência Artificial pode ajudar a prever o Alzheimer

Novas perspectivas sobre velhos problemas.

Ao longos dos últimos meses tem aumentado o ritmo a que surgem nos media internacionais notícias relacionadas com as utilizações da inteligência artificial. Se o pendor habitual é para um tom mais divertido, a esperança maior sobre as potencialidades que este universo reserva dividem-se por muitas outras áreas. Uma das quais, como não podia deixar de ser, a medicina.

A inteligência artificial, isto é, qualquer sistema de processamento e interpretação de dados de forma automática, permite aos investigadores novas perspectivas sobre velhos problemas como é exemplo o estudo de que hoje falamos em que a técnica é aplicada de modo a prever a incidência de Alzheimer.

A automatização da análise dos dados através de algoritmos permite detectar mínimas alterações no padrão, na estrutura ou comportamento dos organismos que segundo os resultados da investigação feita na Universidade de Bari, permitem prever a chegada de Alzheimer com 10 anos de antecedência.

Como já tivemos oportunidade de explicar noutros artigos sobre o tema, para desenvolver um sistema de inteligência artificial é preciso treiná-lo. Neste caso foram usadas informações de 67 ressonâncias magnéticas – 38 das quais de pacientes com Alzheimer.

Depois “dos treinos”, a lógica foi aplicada a 148 novos pacientes tendo sido capaz de diagnosticar sinais da doença em 86% dos casos. Para além disso e numa conquista ainda mais improvável, a deteção de padrões conduzida pela inteligência artificial sinalizou em 84% dos casos deficiências cognitivas difíceis de detectar e predecessoras de Alzheimer. Apesar de os dados ainda não serem suficientes para confirmar esta possibilidade em todo o mundo – uma vez que a base de dados utilizada era relativamente curta – avanços desta ordem dão uma clara ideia de como a inteligência artificial pode servir para explorar novas possibilidades e até descortinar algumas em que nunca se havia pensado, neste caso concreto permitindo um diagnóstico precoce e não invasivo de uma doença com uma penetração em crescendo.

Previous Product Hunt ajuda-te a lançar o teu produto com um novo serviço
Next Nem todas as 8 horas de trabalho são produtivas

Suggested Posts