Uma rede social onde o que conta é a tua cara

Não há cá likes!

Todos os dias surgem várias redes sociais com as mais diferentes promessas e feitios mas raramente suficientemente inovadoras para merecerem destaque. São poucos os casos de relevo e mesmo esses acabam por se reduzir a nichos de mercado muito específicos, veja-se o caso do ello, por exemplo. O Polygram é a partir de ontem mais um caso dos que vale a pena manter debaixo de olho e deve o seu mérito a um par de funcionalidades bastantes inovadoras.

O Polygram é uma rede social de partilha de fotografias que tem como ex libris a capacidade de interpretar a expressão facial dos utilizadores traduzindo-a para um emoji. A ideia é dar uma nova dimensão ao habitual Like, alterando o processo de um simples clique para uma digitalização facial. Havendo sempre a hipótese de falsear reações, aumenta o grau de implicação associado ao gesto.

Animated GIF  - Find & Share on GIPHY

Animated GIF  - Find & Share on GIPHY

Isto culmina num painel de reações emocionais anónimas (sim, anónimas) às fotos mais diversificado e que pretende exprimir com mais precisão as possíveis emoções face a uma publicação, ao qual se juntam outras ideias interessantes. Para além das reações, o Polygram regista o tempo de visualização de cada fotografia, apresenta um gráfico de distribuição por sexo e localiza num cada uma das interações.

Para além destes apontamentos que não são as únicas novidades, o Polygram tem filtros para fotografia, limite temporário de visualização e algumas ferramentas de edição, num bom cruzamento do habituámos a ver entre Instagram e o Snapchat.

Outra das inovações do Polygram é o Screenshot-Protection, um modo em que a fotografia é enviada com uma camada de desfoque que so se torna nítida quando pressionada com o dedo e que, como o nome indica, pretende evitar capturas de ecrã maliciosas.

Num mundo extremamente competitivo e onde a cópia é um método recorrente de inovação como é o das redes sociais, não se avizinham tempos fáceis para o Polygram que mesmo assim acumulou 2,1 milhões de dólares numa primeira fase de financiamento. O seu criador, Faryar Ghazanfari, acrescenta mesmo em entrevista ao Tech Crunch que acredita poder fazer a diferença atraindo os utilizadores certos.

O registo é simples e feito exclusivamente através do número de telemóvel, para já está disponível apenas para iOS.

Previous Alguma vez pensaste ir beber uma cerveja com todos os teus amigos de Facebook?
Next Para os depressivos e perdidos, o primeiro álbum de XXXTENTACION