In A Heartbeat: curta sobre romance entre crianças do mesmo sexo causa controvérsia nas redes sociais

“In a heartbeat” já conta com mais de 21,2 milhões de visualizações e 195 mil comentários no Youtube.

Há um ano e meio, Beth David e Esteban Bravo juntaram-se para fazer a tese final do curso de Animação na Escola de Artes e Design de Ringling, na Florida. “O rascunho original era uma história entre um rapaz e uma rapariga. Mas só quando transformámos a história numa paixão entre duas pessoas do mesmo sexo é que a ideia começou a tornar-se ressonante”, disse David à NBC News. Nasceu assim In A Heartbeat, o primeiro filme de animação sobre um romance entre duas crianças homossexuais. Para que a ideia se realizasse, utilizaram a plataforma de crowdfunding Kickstarter, onde angariaram mais de 14 mil dólares (com o objectivo de 3 mil dólares!).

A curta-metragem encontra-se agora disponível no YouTube e tem gerado discussão nas redes sociais pelo mundo fora por causa da temática que aborda. No YouTube e na página do Facebook  oficial do filme, são vários os comentários depreciativos que geraram discussões ao nível da influência do filme na determinação da sexualidade das crianças.

Apesar das críticas, os autores do filme garantem que a maioria das mensagens que receberam foram elogiosas, pela ousadia de tratar um tema como este. “Os temas LGBTQ são obviamente a questão central, mas em última análise trata-se uma história de amor,” insiste David. A história que tem encantado o mundo fala-nos de Sherwin, um rapaz tímido a quem o coração salta literalmente do peito quando se cruza com Jonathan, o rapaz mais popular da escola. A partir daí, Sherwin tem que perseguir, mais uma vez literalmente, o seu coração atrás de Jonathan, até ser praticamente obrigado a revelar-lhe os seus sentimentos. 

A curta foi divulgada no início do mês mas já tem uma legião de fãs dedicada. O canal de YouTube Elders React já fez entretanto um vídeo com pessoas mais velhas a reagir a história. Houve lágrimas, suspiros e mãos no coração. Classificam In A Heartbeat como uma história linda, emocionante, encorajadora e honesta. Vale a pena ver, tanto quanto a curta-metragem.

A viralidade do projecto foi tanta, que houve outro fã que criou pósteres alternativos, alusivos a outros filmes que tratam o amor ou a temática LGBT.

Texto de: Rita Ferreira
Editado por: Rita Pinto

Previous Disney sai do Netflix e aposta em serviço de streaming próprio
Next IKEA finta Tesla e começa a vender painéis solares

Suggested Posts