IKEA finta Tesla e começa a vender painéis solares

Além de painéis solares, a empresa sueca está a comercializar também baterias domésticas.

A IKEA está agora a vender baterias domésticas de 9 mil dólares e kits de painéis solares, que podem não ser tão mediatizados quanto os telhados de 50 mil dólares da Tesla, mas já estão disponíveis por preços a rondar os 9 mil dólares e prometem retornar o investimento dos compradores em 12 anos.

Essa venda resulta de uma parceria da IKEA com a Solarcentury, empresa que disponibiliza os painéis e a instalação, e com a LG Chem, que fabrica as baterias. Isso significa que a IKEA não está a produzir nem a desenhar nenhum desses produtos energéticos, actuando como mero revendedor. É uma estratégia diferente daquela que a IKEA leva relativamente a outras partes do seu negócio, como o seu portfólio de lâmpadas e o sistema de iluminação inteligente (IKEA Home Smart), que são de fabrico próprio depois de em 2014 ter adquirido uma empresa de LEDs.

Björn Block, o responsável de produtos para a Smart Homes da Ikea, é peremptório a revelar a estratégia que torna possível esta entrada rápida no mercado. Para Block, o sucesso da IKEA neste tipo de estratégia está relacionado com o seu foco no cliente e não na simples propaganda da sua tecnologia – algo que facilmente associamos ao extravagante Elon Musk com todos os seus planos megalómanos.

As baterias domésticas e os painéis solares da IKEA podem não ser notícias como os produtos semelhantes da Tesla, mas com a sua filosofia de acessibilidade, escalabilidade e usabilidade, a empresa sueca pode conseguir que mais pessoas adoptem um estilo de vida energeticamente mais sustentável, conseguindo assim no cômputo geral um impacto superior no mundo. O elitismo inerente aos preços altos quer dos painéis solares, quer dos carros eléctricos, tem sido um dos flancos mais atacados da estratégia da Tesla, que, apesar de toda a notoriedade que tem no sector apenas há 8 dias, começou a testar junto de utilizadores a sua tecnologia.

Previous In A Heartbeat: curta sobre romance entre crianças do mesmo sexo causa controvérsia nas redes sociais
Next CannaDouro: uma feira de cannabis no Porto

Suggested Posts