A televisão do Facebook chegou

Por agora, só nos Estados Unidos
facebook televisão

O Facebook está a lançar nos Estados Unidos um serviço de streaming, concorrente ao YouTube. Chama-se Facebook Watch e vai incluir programas de diferentes temáticas, divididos em episódios – gravados ou em directo –, que os utilizadores poderão ver no computador, telemóvel e televisão.

O Watch vai estar disponível em facebook.com/watch e num separador dedicado nas apps móveis, substituindo o actual feed de vídeos (que foi apresentado em Abril de 2016 e nunca chegou a ser alargado além dos Estados Unidos). Aí, os utilizadores encontrarão uma lista de novos programas, com base no que os amigos e as comunidades que seguem estão a ver e comentar. Os conteúdos aparecerão organizados em categorias como “Most Talked About” (os programas mais comentados), “What’s Making People Laugh” (aqueles que mais reacções ‘haha’ despertaram) ou “What Friends Are Watching” (aquilo que os amigos estão a seguir).

À semelhança do YouTube, Netflix e serviços semelhantes, o Facebook Watch procura adequar a sua oferta de conteúdos o melhor possível a cada utilizador, mostrando-lhe vídeos de acordo com os seus interesses, aquilo que é popular em dado momento e os programas que os amigos estão a acompanhar. O Facebook pode ter neste campo da personalização uma vantagem significativa, dado ser a rede social onde 2 mil milhões de pessoas constroem valiosas redes de amigos e contactos.

No Watch, os utilizadores vão poder seguir os programas que lhes interessam e ser notificados sempre que existir um novo episódio, que será adicionado automaticamente à sua Watchlist. As páginas dos programas serão páginas de Facebook como todas as outras mas com uma organização especial, onde os espectadores poderão saber de que trata o programa, aceder aos episódios e vídeos relacionados, e descobrir grupos de discussão.

O Facebook refere, em comunicado, que o Watch permitirá a criadores e publicações criarem uma audiência em torno dos seus programas e ganhar dinheiro. Na verdade, a monetização dos conteúdos poderá ser feita através de intervalos publicitários, um formato que o Facebook tem vindo a testar nos últimos meses. Os criadores poderão também criar programas patrocinados, identificando-os com a etiqueta “Paid”.

O Facebook diz ainda que o Watch é especialmente direccionado a programas com uma forte componente social, que se relacionem directamente com os fãs e a comunidade, e que sejam tematicamente consistentes. A empresa está a financiar alguns conteúdos que considera exemplos desta filosofia.

O Watch vai estar disponível também na aplicação do Facebook para televisão (Apple TV, Amazon Fire TV e Samsung Smart TV), onde os utilizadores poderão aceder aos mesmos conteúdos do facebook.com e das apps móveis. Para já, o Watch será lançado apenas nos Estados Unidos, estando a ser testado junto de um grupo restrito de utilizadores. Não há qualquer menção na nota de imprensa a um eventual alargamento global.

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
  • Jornalista, adepto de cidades humanas e curioso por ideias que melhorem o país. Co-fundei o Shifter em 2013, sou desde 2020 coordenador do projecto editorial Lisboa Para Pessoas.

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Artigos Relacionados

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Em teste

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt