Já conheces a Chofer? É uma Uber/Cabify portuguesa

Serviço está disponível desde 1 de Agosto em Lisboa, Porto e Algarve.

Apesar de ainda ser um mercado movediço, nasceu em Portugal um concorrente à norte-americana Uber e à espanhola Cabify. Chama-se Chofer e está a realizar viagens em Lisboa, Porto e Algarve desde início de Agosto. O mercado português servirá de teste a esta start-up antes de uma expansão internacional.

Disponível para Android e iOS, a Chofer funciona como a Uber ou a Cabify. Defines no mapa o ponto de partida, vês quanto demora um veículo até ti e, se decidires fazer viagem, é só confirmá-la. Obténs imediatamente informação sobre o motorista e o carro, bem como o tempo de espera. Durante a viagem, podes seguir o trajecto pelo teu telemóvel e, no final, o pagamento é feito por cartão de crédito ou PayPal. A Chofer opera com “empresas licenciadas para o transporte de passageiros com motorista privado, como são as de animação turística ou os rent-a-car”, conforme explica o Observador.

Consoante a gama dos automóveis, a Chofer disponibiliza duas opções aos utilizadores: a Económica e a Executiva. O tarifário é semelhante ao da Uber, uma vez que contabiliza os minutos e os quilómetros de uma viagem (a Cabify apenas conta a distância):

  • 1,00 euro de base + 0,10 euros/minuto e 0,65 euros/km (mínimo por viagem: 2,50 euros)
  • 2,00 euros de base + 0,40 euros/minuto e 1,00 euro/km (mínimo por viagem: 6,00 euros)

Mas existe uma diferença substâncial entre a Uber e a Chofer: as tarifas dinâmicas. Tal como a Cabify, a start-up portuguesa não inflaciona os preços das viagens quando a procura aumenta, pelo que o utilizador sabe o que vai pagar em qualquer altura.

Além das funcionalidades esperadas, a Chofer permite fazer agendamento de viagens com uma antecedência máxima de 24 horas, definir motoristas favoritos (sempre que possível, são eles a fazer as tuas viagens) e obter factura automática de todas as viagens, com um NIF pessoal ou de empresa.

Os criadores da Chofer não são conhecidos, tendo a empresa sede em Lisboa. De acordo com o Observador, o mercado português servirá de teste ao serviço de transporte, estando nos planos da start-up a expansão para Espanha, Brasil, Reino Unido e Rússia.

Previous Artista pinta tweets de ódio à porta do Twitter
Next No próximo ano, 236 escolas vão poder escolher como querem ensinar

Suggested Posts