Jeremy Corbyn é surpresa do cartaz de Glastonbury

O líder do Partido Trabalhista britânico é esperado no palco principal com os Run The Jewels.

Jeremy Corbyn Glastonbury

“Somos fãs do Corbyn, tão simples como isso”, diz Michael Eavis, organizador e fundador do festival britânico em declarações ao jornal The Guardian. O líder trabalhista, Jeremy Corbyn, vai discursar no palco Pirâmide, espaço de maior destaque no festival, imediatamente antes do concerto dos Run The Jewels, dupla conhecida por ser politicamente activa.

Killer Mike, um dos elementos da dupla, a par de El-P, assume uma posição favorável à esquerda política e um apreço especial por Jeremy Corbyn. O artista apelou inclusive ao voto no Partido Trabalhista nas recentes eleições legislativas britânicas, e não é a primeira vez que apoia publicamente uma figura política. Nas últimas eleições primárias do Partido Democrata americano, Killer Mike fez campanha a favor de Bernie Sanders. Os dois não escondem uma relação de amizade marcada pelo apoio e elogio mútuo em público. O senador chegou a fazer uma aparição especial em vídeo num dos maiores festivais americanos – Coachella –, agradecendo a ajuda dos artistas na campanha eleitoral.

O voto jovem

“Ele é realmente o herói do momento”, acrescenta Michael Eavis. Para quem se opôs à maioria absoluta do Partido Conservador de Theresa May, as eleições legislativas antecipadas revelaram bons resultados, como é o caso do Partido Trabalhista que, liderado por Jeremy Corbyn, obteve cerca de 40% dos votos e mais 29 lugares no Parlamento britânico, em comparação com as eleições de 2015, enquanto os conservadores perderam 12 deputados e se afastaram ainda mais da maioria. Numa era cada vez mais digital, a aposta na tendência para a partilha e viralidade nas redes sociais poderá ter sido um dos pontos fortes na campanha de Jeremy Corbyn, principalmente na conquista do voto jovem, conforme apontam algumas análises.

Na altura em que a internet se tornou num dos instrumentos mais poderosos para campanhas políticas, os principais líderes já não olham com indiferença para este meio de comunicação em escala. Procuram agora chegar aos vários públicos-alvo com vídeos, páginas ou imagens do dia-a-dia – o Partido Trabalhista foi um dos que melhor soube aproveitar este recurso, com a preciosa colaboração do seu eleitorado.

Enquanto os conservadores se limitaram a vídeos de ataque à oposição no YouTube e a anúncios pagos no Snapchat, os “memes” de Jeremy Corbyn causavam furor nas redes sociais. Seja por comer uma Pringle ou pelo seu “dress code”, o político inglês começou a ser visto como “one of the lads” (“um dos nossos”). A prova do seu sucesso e do grau de identificação das falanges mais jovens com este político, apontado como muitos como demasiado velho para a missão que representa, é com certeza a sua chamada a palco num festival numa improvável (embora cada vez menos) aproximação entre a política e este tipo de espectáculo.

O festival Glastonbury realiza-se entre 21 e 25 deste mês. Para além de Corbyn e Run The Jewels, subirão ao palco nomes como The National, Ed Sheeran ou Radiohead, nesta que é a 48ª edição do festival britânico.

Texto de: Pedro Valente Lima
Editado por: Mário Rui André

Actualização com vídeo do discurso completo (25 de Junho):

 

 

Previous Este livro da Antena 3 tem quase 1 kg de música portuguesa
Next NSA disponibiliza projectos secretos no GitHub

Suggested Posts