Assim vai ser o Metro de Lisboa em 2022

Duas novas estações e uma Linha Verde circular.

Duas novas estações (Santos e Estrela)Linha Verde passa a ser circular e engole uma parte da actual Linha Amarela. Estas são as principais alterações ao mapa do Metro de Lisboa até 2022, previstas no plano de desenvolvimento operacional da rede.

As novidades foram apresentadas esta segunda-feira, pelo Ministro do Ambiente. O executivo está disposto a investir no Metro de Lisboa para reverter a degradação que o serviço registou nos últimos anos. A obra de expansão, que inclui estações em Santos e Estrela e a transformação da Linha Verde num trajecto circular, vai custar 216 milhões de euros e será financiada com fundos do Banco Europeu de Investimentos. Está prevista ainda aquisição de 33 novas composições, num investimento de 50 milhões.

A estação da Estrela deverá ficar localização na Calçada com o mesmo nome, em frente à Basílica. Já a estação de Santos será construída, de acordo com o plano do Governo e do Metro, junto ao edifício dos sapadores de Lisboa.

A actual Linha Verde, que liga Telheiras ao Cais do Sodré, passará a ter composições 6 carruagens a partir de Julho, com o encerramento da estação de Arroios para obras de ampliação. No futuro, a estação de Telheiras passará a integrar a nova Linha Amarela, até Odivelas. A nova Linha Verde fará a ligação integrará os troços já existentes entre o Campo Grande e o Cais do Sodré e entre o Campo Grande e o Rato, que passarão a estar unidos e com paragens em Santos e Estrela.

O Metro de Lisboa promete comboios a cada 3 minutos e 40 segundos na nova Linha Verde circular.

No plano de desenvolvimento operacional da rede do Metro de Lisboa, estão previstas ainda obras nas estações de Areeiro (remodelação do átrio norte), Colégio Militar/Luz (melhores acessibilidades), Olivais (intervenções na superestrutura) e Baixa Chiado (modernização das escadas mecânicas).

A Linha Vermelha poderá ser prolongada no futuro com estações em Campo de Ourique e Amoreiras, não existindo neste momento viabilidade financeira para a execução da obra. Ela está, no entanto, estimada: 186,7 milhões de euros. A estação de Campo de Ourique deverá ficar junto à Escola de Saúde Pública Militar, no cruzamento com a Rua Ferreira Borges; e a das Amoreiras no cruzamento da Av. Conselheiro Fernando de Sousa com a Av. Engenheiro Duarte Pacheco.

Esta obra de expansão da Linha Vermelha pode vir a ser financiada durante o próximo ciclo de fundos comunitários.

Previous Útero artificial sustentou cordeiros bebés – humanos podem ser a seguir
Next Behance Portfolio Review: a oportunidade que não deves perder

Suggested Posts