Os jovens criativos que vão representar Portugal no maior festival de publicidade do mundo

A comitiva de Young Lions portuguesa foi escolhida num bootcamp de 24-48 horas.

young lions portugal

Os Young Lions portugueses que vão representar a criatividade e as cores da bandeira portuguesa entre 16 a 21 de Junho, no Cannes Lions – o maior festival de criatividade do mundo, já foram escolhidos.

A competição decorreu entre os dias 31 de Março e 3 de Abril, num bootcamp organizado pela MOP no Hood da agência comOn. As 5 duplas das categorias de imprensa/outdoor, design, cyber, marketing, media e RP contaram com 24 horas para resolver um briefing enquanto as equipas que participaram na categoria de filme tiveram à sua disposição 48 horas.

Imprensa/Outdoor

Na categoria de Imprensa/Outdoor, os vencedores foram a dupla Hugo Suíssas e Tiago Silva que trabalham na agência O Escritório. Após vários pódios em edições anteriores, a dupla conseguiu por fim o Ouro e carimbar o passaporte com a viagem até Cannes.

Os dois criativos garantem estar agora muito melhor preparados para brilhar em Franca: Se os Beatles foram rejeitados pela Decca Records na sua primeira audição e o Ronaldinho Gaúcho dispensado das captações do Estrela da Amadora, que lata teríamos nós para ganhar os Young Lions na primeira tentativa? Sentimos que agora estamos mais bem preparados para tentar repetir a proeza do Éder em França.”

Filme

Rita Castelo Branco da Havas e Fernando Aguiar da Carmen, foram os vencedores da categoria Filme com dois trabalhos “O preguiçoso” e “A preguiçosa”. A dupla afirma que “as expectativas para Cannes sao as melhores possíveis, e que intenção é ganhar”. Garantem que vão levar o trabalho de casa feito “estudar muito e ver muitas referências, pois sabem que a competição vai ser bastante difícil”.

Design

O primeiro lugar da categoria de Design foi entregue à dupla da Fuel, Inês Coelho e Elsa Rodrigues que destaca a espírito de amizade e partilha que prevaleceu sobre a competitividade entre as duplas”. As jovens designers seguem para Cannes “felizes e com o grande orgulho de poder representar Portugal nesta competição” e prometem dar o seu melhor.

Cyber

Em Cyber, Portugal vai estar representado pela Inês Rubio da Arc e pelo Pedro Maia da BBDO, com um trabalho que para eles foi tudo menos um #fail.

Media

A dupla da MEC Filipe Rodrigues e Mónica Cabaço venceram a categoria de Media com o trabalho “Sai da Casca” para a manteiga de amendoim da Calvé, em que criam um plano de media para desafiar os consumidores a terem novas aventuras com a ajuda da marca.

A dupla afirma que “o novo formato da competição é mais desafiante e enriquecedor que o anterior” e destaca o “ambiente de partilha e ajuda durante o bootcamp”. Em relação a Cannes, garantem “ir para ganhar, apesar de sabermos que o nível é bastante elevado”. Querem ainda aproveitar “as conferências, entrega de prémios, networking, sem esquecer as festas em iates”.

PR e Marketing

A competir na Riviera Francesa na categoria de PR estarão a Érica Rodrigues e a Leticia Gonçalves da YoungNetwork. Da Unicer, a dupla José Pedro Silva e Mário Alves foi a vencedora da categoria Marketing. Podes ver todos o trabalho completo de todos os vencedores aqui.

Na comitiva portuguesa há ainda lugar para Ana Abrantes, a estudante da ESAD das Caldas da Rainha que vai integrar a semana de formação do festival na Roger Hatchuel Academy.

Este foi o apenas o segundo ano desde que o formato da competição Young Lions Portugal foi alterada. Nesta nova versão da competição, há duas fases – a da inscrição, onde todos os jovens até 30 anos enviam os seus currículos e portefólios, seguida por uma fase de um bootcamp de 24/48 horas, em que 5 duplas escolhidas pelo júris competem em cada categoria.

Este novo formato tem tanto de bom como de mau, o facto de agora as duplas terem o mesmo tempo para resolver o briefing como vão ter na competição em Cannes é, sem dúvida, uma mais valia, ao contrário das cerca de 3 semanas que eram oferecidas no antigo modelo da competição. Porém, o facto de apenas 5 duplas por categoria terem a oportunidade de resolver o briefing pode ser limitativo, sobretudo quando neste meio se diz que todos podem ter boas ideias. Limitar a possibilidade de competir as equipas que já tiveram tempo de construir um bom portfólio deveria de ser repensada.