O Twitter matou o ovo

Um ícone daquela plataforma.

Se te perguntarmos elementos icónicos que definem o Twitter, a tua resposta vai incluir o pássaro e o limite de 140 caracteres. Mas há outro elemento que não acompanhou a rede social desde início mas já existe há tempo suficiente para também merecer o estatuto de ícone: o ovo.

O ovo num fundo colorido foi, desde 2010, a imagem de perfil padrão no Twitter. Quem criasse uma nova conta ou apagasse a sua foto de perfil, ficava com um ovo. Contudo, o Twitter decidiu matar o ovo e pré-definir uma imagem de perfil mais comum.

A empresa explica que fê-lo por dois motivos: 1 – por um lado, percebeu que algumas pessoas mantinham o ovo como foto de perfil “por acharem-nos divertido e bonito”; 2 – por outro, o ovo ficou ao longo dos anos associado a comportamentos negativos dentro do Twitter, muito por causa de contas “que são criadas apenas para perseguir outros” “não é justo para as pessoas que são novas no Twitter que não tiveram ainda tempo para personalizar a sua foto de perfil”, justifica.

A nova foto padrão do Twitter é cinzenta, o que lhe confere um ar triste e temporário, incentivando as pessoas a trocá-la por uma imagem com a qual se identifiquem mais. A equipa de design do Twitter pensou diferentes figuras e padrões, e teve o cuidado de garantir um contraste de cor acentuado para quem tem deficiências visuais. Optou também por uma forma inclusiva a todos os géneros, uma vez que o Twitter não requer esse dado aos utilizadores.

O site Fast Company tem um artigo extenso sobre esta mudança do Twitter, que te aconselhamos caso queiras saber mais.

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Artigos Relacionados

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Em teste

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt