‘The Art of Slowing Down’: uma noite épica e o consagrar de uma estrela em ascensão

Mais uma vez, parabéns ao Rap Noticias.

Uma noite épica para os presentes e o consagrar de uma estrela em constante ascensão, elevada pela excelência das suas letras e melodias, cantadas por um público incansável, capaz até de invadir o palco. Em poucas palavras, foram estas algumas das sensações no ar na noite passada no Mercado Time Out, no concerto de apresentação do novo álbum de Slow J, The Art of Slowing Down.

Entrei no Time Out, pouco passava da meia noite. Há entrada uma pequena exposição de registos fotográficos captados para o Rap Notícias nos últimos 2 anos lembrava-nos que um dos pretextos da festa era o 5º Aniversário do Rap Notícias.

No palco já Lhast ia aquecendo as brasas para uma noite que se esperava especial. Com um set recheado de material próprio, rodou alguns dos novos clássicos no panorama Hip Hop e não só. Malhas como “Mo Boy” de Dillaz ou “Do You No Wrong” de Richie Campbell foram replicadas pelas vozes da crowd presente na sala, que mantinha na ponta da língua cada linha, pronta a ser cuspida. Contudo a primeira grande ovação da noite estava reservada para a subida a palco de ProfJam enquanto Lhast passava um dos seus mais recentes singles “Xamã”.

Na recta final do set houve espaço para um inédito de Gson, o trigger ideal para o que se seguiu. O momento em que surge Conductor (Buraka Som Sistema) preparado para acompanhar Gson num concerto de curta duração mas enorme intensidade. Com a previsível companhia dos seus parceiros Wet Bed Gang, provocaram uma explosão considerável para a altura ainda precoce da noite com metade do seu hit “Tu não tens visto”.

Neste concerto flash houve tempo para Gson mostrar os voos para que está guardado com o inédito “Voar”.

Terminada a actuação dos rapazes de Vialonga, subiram ao palco Francis Dale e Fred para nos teclados e na percursão, respectivamente, tecer o pano de fundo para a grande apresentação da noite. Ainda o artista setubalense não estava em palco e já a pele se arrepiava com a plateia cantar em uníssono voz “Cristalina”, um tema emocionante que Slow J viria a repetir ao longo da noite.

Entre momentos partilhados com o público nas faixas já conhecidas como Tinta de Raiz ou Comida e revelações a solo de temas do seu novo álbum, Slow J demonstrou o porquê de se ter tornado em pouco mais de um ano num dos artistas que mais expectativas reune à chegada ao seu primeiro longa duração.

Nerve foi o primeiro convidado a abrandar para apresentar “Às vezes”, uma das faixas participadas de The Art of Slowing Down.

A outra é a já familiar do público “Pagar as Contas”, que levou a palco Gson e Papillon. Em cerca de uma hora e meia houve espaço para todo o tipo de acções e reações, com Slow J em proezas como cantar rodeado de multidão. E se o momento ressoa na memória com uma tonalidade messiânica a verdade é  que pelo menos este mar de gente Slow J provou dominar por completo.

Gson

Depois do concerto houve espaço para o cypher com Mike El Nite como DJ e Host de serviço, onde subiram também ao palco nomes como Weis, Kaps, Chyna, Bispo, Fumaxa, Mc Ary, Marcos Best, Malaba da Gun ou Profjam, entre outros.

O momento em que o MC Ary chama ao palco João Moura e coloca a plateia do Time Out a cantar os parabéns ao rap noticias, foi um dos momentos altos desta rodinha de rimas. O resto da noite ficou a cargo de Mike El Nite e DJ BIG.

Parabéns, Slow J. Parabéns, Rap Notícias.

Fotos de: Marco Brandão/Shifter

Previous “Dialectos da Ternura” faz 10 anos e o Nokia 5200 também
Next No Dia do Pai, o Continente fala de medo e felicidade num anúncio maravilhoso