Isto é uma não-notícia sobre o Galaxy S8

Um dos telemóveis mais aguardados e simultaneamente mais previsíveis deste ano.

O lançamento do Galaxy S8 teve contornos especiais. A habitual conferência de imprensa, onde o produto é anunciado para todo o mundo, perdeu impacto depois de praticamente todo o site especializado em tecnologia, blogue e youtuber ter publicado, à mesma hora, as primeiras impressões do produto que estava a ser revelado Depois do desastre com o Note 7, a Samsung esforçou-se para o buzz em torno do Galaxy S8 fosse significativo.

O Galaxy S8 era um dos telemóveis mais aguardados e simultaneamente mais previsíveis deste ano. Oficializado o anúncio do equipamento, depois de semanas consecutivas de leaks, fica completo o calendário de principais lançamentos Android do ano. Juntos com o Galaxy S8, o LG G6 e o Huawei P10, ambos apresentados em Barcelona, os topo-de-gama mais importantes de 2017 e sucedem ao G5, P10 e S7, lançados sensivelmente há um ano. Todavia, o 2017 dos smartphones só fica concluído com o novo iPhone, que deverá chegar depois do Verão, com o Google Pixel, que também sairá lá para o Outono, e com o sucessor do OnePlus 3/3T, que poderá acontecer muito brevemente.

Como é o S8?

Apresentado num evento simultâneo em Nova Iorque e Londres, o Galaxy S8 tem um ecrã maior que o seu antecessor, não tendo existido um aumento digno de nota no tamanho do equipamento, podendo ser manuseado de forma confortável com apenas uma mão. Isto acontece porque, tal como o LG G6, o Galaxy S8 tem um ecrã que vai praticamente de uma ponta à outra da parte da frente do telemóvel. A Samsung chama-lhe ecrã infinito e refere que a ausência de moldura permite uma experiência de visualização envolvente, argumento que a LG já tinha utilizado.

Tal como o S7, esta actualização está disponível em dois modelos, um de 5,8 polegadas chamado apenas S8 e outro de 6,2 polegadas que foi baptizado de S8+. O ecrã de ambos é curvo nas laterais, característica anteriormente exclusiva da versão “Edge”. Tem um aspect ratio de 18:9 e uma resolução de 2960×1440 pixels, a pensar no acessório de realidade virtual – os óculos Gear VR com comando. O ecrã está sempre ligado para mostrar as horas (num modo de baixo consumo energético) e suporta HDR, para um maior realismo nas cores de fotos e vídeos.

Mais caro que o antecessor

O S8 vai custar a partir dos 819,90 euros e o preço mínimo do S8+ é de 919,90 euros. Uma diferença de 100 euros que, analisando especificações, se resume ao número de polegadas. É que os dois modelos são muito idênticos. Na frente vem uma câmara de 8 megapixels com abertura de lente de ƒ1.7. Na câmara traseira de 12 megapixels, a abertura é a mesma mas a lente é “Dual Pixel”, prometendo boas fotos em ambientes de iluminação reduzida (o Galaxy S7 já era conhecido por isso e por ter uma das melhores câmaras em smartphones).

Bixby, a assistente pessoal do S8

Resistência à água e ao pó, extensão do armazenamento interno de 64 GB com um cartão microSD até 256 GB, memória RAM de 4 GB, carregamento rápido, Gorilla Glass 5 na parte frontal e traseira para assegurar uma maior durabilidade e suporte para velocidades de dados até 1 Gbps completam os detalhes do novo equipamento. O Galaxy S8 vem com uma mais uma tecnologia biométrica, além do leitor de impressões digitais – um leitor de reconhecimento de íris e reconhecimento facial. Outra novidade é a Bixby, a primeira assistente pessoal da Samsung que, à semelhança da Siri, da Cortana e do Google Assistant, promete ajudar os utilizadores a desempenhar determinadas tarefas. Na fase de lançamento do S8, o Bixby suporta unicamente inglês, castelhano, coreano e chinês.

Um telemóvel que pode ser computador de secretária

O Galaxy S8 tem outros acessórios, além do Gear VR e da nova câmara Gear 360. O Samsung DeX é uma pequena dock que permite ligar o telemóvel a um monitor de secretária e utilizar o Android num ambiente de trabalho improvisado. O equipamento estará disponível em Abril com o S8, não tendo o preço sido ainda revelado.

Os auriculares são outros dos extras do S8 e estarão na caixa com o equipamento – resultam de uma parceria com a AKG da Harman, prometem uma óptima qualidade de som e são construídos em malha de metal de forma a evitar o entrelaçar dos fios.

Disponibilidade imediata

Disponível em pré-compra em vários países e com chegada prevista à Europa para 28 de Abril, o Galaxy S8 vai estar disponível em três cores: Preto Meia-Noite, Cinzento Orquídea e Prateado. Esta disponibilidade quase imediata do equipamento e o cuidado tido no design do mesmo são os principais trunfos da Samsung para rivalizar no mercado de smartphones com a Apple, LG e Huawei, entre outras. O Galaxy S8 é tudo aquilo que vimos no LG G6 – ecrã grande num telemóvel que cabe numa mão do G6 – com um toque de elegância e sofisticação, a experiência ao nível de software das gerações anteriores (ecrã sempre ligado, câmara com funções profissionais, sistema de segurança Samsung Knox…) e uma força de marketing sem precedentes.

Sim, o marketing. E neste campo não falamos apenas dos “leaks” sem fim do Evan Blass que destaparam 99,8% do telemóvel ao longo das últimas semanas, gerando notícias e partilhas sem descanso nas redes sociais. Aliás, a primeira imagem do S8 foi divulgada pelo @evleaks no dia 1 de Março, quando o MWC em Barcelona ainda estava a decorrer, com os olhos dos bloggers e jornalistas postos no G6 e P10. Terá sido um acaso? Para o “teatro perfeito” que a Samsung montou contribuiu o acesso antecipado de alguns órgãos de comunicação social ao equipamento, o envolvimento das operadoras com campanhas de pré-venda no dia zero, e todo o restante investimento em digital e PR por todo o mundo.

Por isso, isto foi uma não-notícia sobre o Galaxy S8. Um dos telemóveis mais aguardados e simultaneamente mais previsíveis deste ano. Espreita algumas das “primeiras impressões”.

Previous Barreiro procura artistas para performances… num reservatório de água
Next O lançamento mais importante da Samsung foi esta câmara 360º

Suggested Posts