Sair à noite já não é o que era. Quem o diz é a Geração Milénio


Sair à noite parece estar fora de moda. Ou pelo menos já não é tão habitual como era há uns tempos. Agora a grande maioria dos jovens prefere juntar os amigos em casa para beber uns copos e conversar, sair para um sítio mais calmo, trocar dois dedos de conversa e voltar cedo, ou mesmo ficar em casa.

“Occasionally, they’ll walk by a field and laugh fondly, knowing that their reckless phase has passed, and that what they really want to do is just hang out in front a fire with some of their closest friends and describe episodes of premium cable shows to one another. The wildest these nights ever get is when one of them cheekily brings some poisonous herbs to spice things up.”, Vice 

Dados como estes nunca podem ser generalizados mas não caíram do céu. Depois de, em 2016, um inquérito realizado pela Heineken ter revelado que 75% dos jovens que saem à noite optam por beber com moderação, desta vez foi o New York Post a querer pegar no tema. O jornal norte-americano quis saber o que fazem os millennials dos nossos dias à noite, se saem, como, com quem.

A maioria dos entrevistados foram jovens com idades entre os 18 e os 34 anos. Alguns explicaram que o fim-de-semana é a única altura da semana em que podem descansar. Outros, disseram que quando finalmente chegam a casa depois de um dia longo, a última coisa que lhes passa pela cabeça é voltar a sair e chegar de madrugada.

Vêem 2,7 horas de televisão por dia, face às 1,8 horas diárias da geração anterior. Estes foram os resultados de um estudo realizado por uma agência de investigação do consumidor (semelhante à Deco, em Portugal), citada no artigo. O estudo revelou ainda os números relativos ao tempo passado nos telemóveis: 3,1 horas por dia em comparação com as 1,7 horas diárias registadas pela geração mais velha, a chamada geração X.

“Millennials, it seems, have discovered that the need to socialize face-to-face is waning, as food, shopping, friends, entertainment and even sex are all an app tap away.”, The New York Post

“We’re streaming more television and spending more time on our phones than Gen X, declining to socialize in person, and maybe most damning of all, “More young people are choosing to spend a quiet evening at home.”, Vice 

Poupar dinheiro também foi uma das mais frequentes justificações encontradas por estes jovens, sobretudo aqueles que residem em grandes cidades como Nova York ou Chicago. “É mais barato ficar em casa. Hoje em dia, 20 dólares não te levam muito longe”, disse Kimberly Pena, um jovem de 21 anos residente em New Jersey, em entrevista à Vice, que também publicou sobre o assunto.

Um outro estudo, realizado pela Child Trends Data Bank revelou que beber em excesso também já não é moda entre os jovens: 41,4% foram os resultados em 1980 face aos 19% da actualidade.

Em termos médicos, ficar em casa pode ter influências negativas no bem estar emocional, e muitos psicólogos já lançaram o alerta em relação a esta situação, explicando que são cada vez mais os jovens que lhes chegam com desequilíbrios emocionais por passarem demasiado tempo em casa.

“They’re not consuming alcohol, but they’re consuming a lot of media — and it’s depressing them,” Dr. Michael Brustein, psicólogo em Manhattan

A verdade é que o mundo tecnológico em que nascemos, onde tudo está à distância de um clique, tem um peso enorme nos nossos hábitos diários e na forma como nos relacionamos com os outros. A cada dia, são lançadas novas apps que te permitem chegar a pessoas que nunca fariam parte da tua vida de outra forma. E cada vez mais, as idas à discoteca e as noitadas são postas de parte, seja pelos espaços a abarrotar, pelo cheiro a fumo que se traz na roupa, pelo dinheiro que se gasta ou mesmo pelo conforto que descobrimos em ficar em casa: dormir quando te apetece, vestir o que te apetece, beber e comer o que te apetece, sozinho ou com uns quantos amigos.

“You know what’s great? Sitting around and watching TV. Have you tried it? You get to wear comfortable clothes, summon whatever food you want via phone and eat it with your hands, go to bed when you choose. Don’t underestimate the simple luxuries of a glass of wine, a roof overhead, and a screen that can show you anything you can imagine. So stay in tonight. Get a decent bottle of red wine or one of those bourgeois-ass beers that’s brewed with like, lemon peels. Watch an entire Prince concert or a shitload of Peep Show. Or, fuck it, go Full Old and read a book. Sleep when you’re tired. Wake up feeling rested for once. Go to the park. You’d be surprised by all the places you can go when you’re not going out, and how nice the people are once you’re there.”, Vice

E tu? A que grupo pertences? Quantas vezes por mês gostas de sair à noite? O que tens a dizer sobre estes dados? Não encontrámos dados relevantes sobre Portugal que nos permitam tirar uma conclusão por isso ajuda-nos!