Pode o Prisma ser o “próximo Instagram”?


A aplicação que fez furor no Verão ao permitir adicionar filtros artísticos às nossas fotos corriqueiras tiradas com o telemóvel recebeu uma importante actualização que tanto pode correr super bem como ser um falhanço total. Será este o “próximo Instagram”?

Nos seus primeiros anos, o Instagram era uma pequena comunidade de utilizadores que partilhavam fotos dos seus momentos mais pessoais: uma saída à noite com os amigos, uma refeição especial ou uma tarde de férias na praia. A aplicação oferecia um feed e uma câmara para personalizarmos os instantes com uma dúzia de filtros. Foi com esta receita que o Instagram começou a crescer e, desde a aquisição pelo Facebook em 2012, o ritmo aumentou – a plataforma ganhou inúmeras novas funcionalidades e reforçou o seu propósito. Mas mesmo tendo mudado muito, continuou a ser a aplicação que muitos abrem para saber dos amigos e partilhar as suas vidas. É um espaço que consideramos mais nosso, sem a confusão das marcas e dos anúncios do Facebook.

O Prisma quer seguir a receita de crescimento do Instagram e, para tal, adicionou um feed à sua aplicação. Assim, além de servir para criar fotos artísticas, o Prima permite-nos agora partilhá-las com os nossos amigos. Eles podem fazer “gosto” e comentar os nossos posts, organizados num feed vertical e algorítmico, semelhante ao do Instagram. Quantos mais likes e comentários as tuas imagens receberam, mais alcance ganham no Prisma. Podemos também adicionar a localização às imagens que partilhamos e depois explorá-las num mapa mundo.

À semelhança do Instagram/Snapchat, o Prisma copiar o Instagram não é mau. Há aplicações que simplesmente acertam na fórmula que define um bom produto e, no que toca a partilha de fotos com os amigos, o Instagram foi pioneiro a fazer as coisas bem.

A última actualização do Prisma já está disponível para Android e iOS. A aplicação torna-se uma nova rede social e afasta-se da categoria de ferramenta. De notar que recentemente o Facebook “cortou as pernas” ao Prisma ao bloquear através do seu API a criação de Lives com os filtros artísticos desta aplicação. Não se sabe até te ponto este bloqueio por parte do Facebook não teve peso na decisão do Prisma de criar a sua própria rede social.

Previous Facebook vai ter rádio e podcasts
Next Estes são os melhores do ano para o Vimeo

Suggested Posts