Há um novo “Netflix” em Portugal. Para quem gosta de cinema independente


Chama-se Filmin, é uma nova plataforma de streaming de vídeo dedicada ao cinema clássico, independente e de autor. Chegou esta quarta-feira a Portugal com um catálogo de mais de 500 títulos e uma assinatura mensal no valor de 6,95 euros.

O Filmin inclui filmes das principais distribuidoras independentes portuguesas, entre as quais a Midas, a Alambique, a Cinemundo ou a Outsider, e de várias produtoras nacionais, como O Som e a Fúria, a Terratreme, a Filmes do Tejo e a Ukbar.

Entre os mais de 500 títulos, estão filmes de Jean-Luc Godard, Federico Fellini, Luchino Visconti, Ettore Scola, Victor Erice, Pablo Larraín, Sérgio Tréfaut, Jafar Panahi, Asghar Farhadi ou Apichatpong Weerasethakul. Mas também há cinema português: Cartas da Guerra de Ivo M. Ferreira, Sangue do Meu Sangue de João Canijo, e As 1001 Noites de Miguel Gomes são apenas alguns exemplos.

filmin_02

A expectativa é que o catálogo cresça ao longo dos próximos meses, à medida que são consumados os utilizadores da plataforma, também disponível em Espanha e no México. O Filmin, que conta com a ajuda financeira do programa Creative Europe da UE, promete ajudar a alargar o cinema independente para fora dos grandes centros urbanos, onde tendencialmente se concentram as grandes salas e diversificar a oferta existente actualmente nos serviços de streaming como o Netflix, que não dão tanta atenção aos filmes mais clássicos, por exemplo.

Criado por Stefano Savio, Adriano Smaldone e Anette Dusijin, que organizam em Portugal a 8 ½ Festa do Cinema Italiano, o Filmin junta-se no mercado nacional ao o Netflix, o N Play (exclusivo para clientes NOS) e o Vodafone Indie World, dedicado também a cinema independente, mas com um catálogo mais limitado e exclusivo para os clientes da operadora.

filmin_03

O Filmin está disponível no computador através do site filmin.pt, assim como em telemóveis/tablets iOS e Android através de aplicações dedicadas. Em breve, deverá chegar à televisão. Podes usar o serviço através de uma destas modalidades:

  • pagando 6,95 euros por mês para ter acesso ilimitado ao catálogo, exceptuado alguns conteúdos novidade que são adquiridos separadamente em ou em pacotes suplementares à assinatura mensal;
  • alugando por 72 horas os filmes individualmente, despendendo entre 1,95 e 3,95 euros.

A expectativa de Stefano Savio, Adriano Smaldone e Anette Dusijin é criar parcerias com os múltiplos festivais de cinema existentes em Portugal e no estrangeiro, criando selecções especiais de filmes para cada um deles. Estão prometidos também alguns exclusivos como Eis o Admirável Mundo em Rede (Lo And Behold, Reveries Of The Connected World, no título original), o novo documentário de Werner Herzog.