CNN compra aplicação de vídeo de Casey Neistat, Beme


O Beme, startup que Casey Neistat co-fundou em 2015 e que desenvolveu uma aplicação de partilha de vídeo, foi comprada pela CNN. O Casey, a restante equipa do Beme e a tecnologia já desenvolvida vão ser usados pela gigante de media para se aproximar de uma audiência importante: os millenials.

O negócio agora anunciado, e avaliado em 25 milhões de dólares, segundo o Wall Street Journal, surge uma semana depois de Casey Neistat ter anunciado o fim da sua série de vlogs. Com mais de 500 episódios diários publicados, o youtuber e também filmmaker tornou-se uma referência global no YouTube, reunindo mais de 5 milhões de subscritores e inspirando uma geração de criadores.

bemecnn_02

De acordo com o New York Times, Casey Neistat vai abrir com Matt Hackett, o outro fundador do Beme, uma empresa de media independente no ceio da CNN. Conforme o que se já se sabe, esta empresa irá focar-se em vídeo e permitirá aos criadores de conteúdos usar a tecnologia para encontrar a sua voz.

A aplicação do Beme será encerrada no início de 2017, podendo os utilizadores guardar o seu conteúdo até lá. Quando foi anunciada em 2015, o Beme teve a atenção da imprensa e da audiência de Casey Neistat, mas a aplicação nunca ganhou a tracção esperada. O Beme nasceu para que pudéssemos partilhar momentos da nossa vida sem que a tecnologia “se metesse à nossa frente” – em vez de segurarmos no telemóvel para filmar algo, colocamo-lo no peito e um pequeno vídeo do momento é partilhado automaticamente, e sem edição, no nosso perfil.

Casey Neistat manterá a sua independência no YouTube e restantes plataformas sociais que já construiu.

Previous The Intercept: já fazia falta um jornal como este
Next Cards Against Humanity junta 100 mil para cavar um grande buraco

Suggested Posts