Turquia bloqueia Wikileaks devido à divulgação de 300 mil e-mails do partido de Erdogan

Organização respondeu assim à purga que o presidente turco e a sua equipa têm levado cabo no país.

A partir de ontem, o portal Wikileaks está bloqueado e inacessível na Turquia. Esta tomada de posição por parte das autoridades do país deve-se à exposição de sensivelmente 300 mil e-mails referentes ao partido do Presidente Erdogan.

Segundo o site, a correspondência electrónica corresponde a um intervalo temporal de 6 anos, de 2010 a 2016. Esta divulgação não tem correlação com a tentativa de golpe de Estado da semana passada, e portanto não tem na facção “golpista”a fonte de informação. A organização resolveu soltar agora este bloco de informação de modo a responder à purga que o presidente turco e a sua equipa têm levado cabo no país.

wikileaksturquia_02

Esta decisão https://staging2.shifter.pt/wp-content/uploads/2021/02/e03c1f45-47ae-3e75-8ad9-75c08c1d37ee.jpgistrativa, palavras do executivo turco, faz parte de um conjunto de medidas onde se poderá inclui a re-adopção da pena de morte.

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
  • O Rui Sousa é licenciado em Ciência Política pelo ISCSP e mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação no ISCTE.

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Artigos Relacionados

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Em teste

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt