Activista disponibiliza online cerca de 100 anos de revistas Time

"Estava aborrecido num sábado."

Um arquivo equivalente a cerca de 100 anos de revista Time foi descarregado do site da empresa por Michael Best, um activista que depois disponibilizou online, de forma gratuita, as várias edições da reputada publicação norte-americana.

Michael Best, que defende da liberdade de informação, considera que, dada a longevidade da Time, as suas revistas são “uma ferramenta útil de pesquisa com muitas notícias histórias e informação cultural”, como se lê no site que criou e onde partilha todo o acervo. “Deveriam estar livremente acessíveis online como numa boa biblioteca, mas nem a maioria das bibliotecas tem uma colecção tão completa como esta de revistas Time.”

No site, Michael também diz “que se fodam as paywalls” e “estava aborrecido num sábado” como outros dois motivos para ter feito download de quase um século de história.

São cerca de 333 750 páginas da Time, de 1923 a 2014, que Michael conseguiu tirar dos servidores da Time e colocar no seu site. O activista explicou, à revista Motherboard, que ao navegar no arquivo da Time – chamado The Vault – percebeu que o URL de cada página da revista continha a data da edição e o número da página. Usando uma ferramenta chamada DownThemAll, conseguiu descarregar rapidamente todo o conteúdo. Michael admite querer “lançar mais tarde as edições em formato PDF depois de executar OCR [optical character recognition] nelas”.

As 333 750 páginas partilhadas não correspondem a todo o catálogo da Time, uma vez que a própria revista ainda não o completou. Na nota que deixou no site, Michael diz não ter removido ou alterado qualquer página, mudou apenas o nome dos ficheiros para ser “muito mais fácil navegar no arquivo”.

Michael Best não esteve sozinho nesta iniciativa. Os quase 100 anos de Time – correspondentes a 29,5 GB comprimidos – foram alojados por Thomas White, um activista britânico conhecido como The Cthulhu e que anteriormente já tinha participado na partilha de dados do LinkedIn e do site Ashley Madison.

A Motherboard contactou a Time sem obter qualquer resposta. Existe possibilidade de Michael e Thomas enfrentarem um processo legal, dado que, de acordo com os termos e condições da Time, não é permitido re-distribuir qualquer conteúdo do The Vault. “Acredito ser importante, sempre que possível, dar a cara pelas nossas acções e assumir responsabilidade por elas. Se há consequências do que fiz, não vou esconder-me deles – mas os ficheiros continuarão em circulação”, escreve Michael.

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
  • Jornalista, adepto de cidades humanas e curioso por ideias que melhorem o país. Co-fundei o Shifter em 2013, sou desde 2020 coordenador do projecto editorial Lisboa Para Pessoas.

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Artigos Relacionados

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Em teste

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt