TNW Conference: mais lições que trouxemos de Amesterdão

Neste segundo dia do festival do The Next Web, esperava-nos Peter Sunde e Casey Neistat.

O segundo dia dispensa o passo lento e as paragens de estupefacção no caminho, o primeiro nome do cartaz era um dos maiores nome de todo o festival: Peter Sunde. O encontro estava marcado para as 10h45 na sala de imprensa, para um anúncio especial, por isso foi em contra-relógio que o sueco subiu ao palco principal. Era também o primeiro nome do dia.

Peter Sunde disse que existe um problema de narrativa: não há tecnologia boa ou má. Para o fundador do Pirate Bay, não se pode dizer afirmar que a tecnologia é boa, logo os ubers e o airbnbs são bons. Os valores éticos e morais importam e as empresas, produtos ou serviços precisam de ter um propósito na sociedade.

tnwconf2_02

Para Peter, a realidade mostra que só o dinheiro é tido como medidor do sucesso e que em vez de sermos políticos estamos a tentar ser zuckerbergs. Peter Sunde criticou ainda a centralização da Internet, abordou a falta de igualdade e alertou para o descomprometimento das pessoas, entre outros aspectos – numa intervenção rica em lições e ensinamentos que fez atrasar o compromisso com a imprensa.

Aos jornalistas, Peter Sunde apresentou o Flattr Plus, uma nova forma de os criadores receberem pelo conteúdo que disponibilizam online – seja um vídeo de YouTube ou um post num blogue. Nesta sessão com a imprensa, ouvimos também Hjalmar Winbladh falar da EQT Ventures, uma recente empresa de capital de risco e que tem um fundo de 566 milhões de euros para investir em tecnológicas europeias.

tnwconf2_03

tnwconf2_04

Durante a manhã, o nosso tempo foi dividido entre tentar entrar na palestra de Ethan Zuckerman, director do Civic Media Center do MIT Media Lab, totalmente esgotada; e explorar o recinto.

As caras que vimos neste segundo dia eram em parte diferentes das do primeiro dia, dado que as startups em exibição também eram outras. A procura por parte dos empreendedores pela oportunidade de exibir ali, perante 10 mil pessoas, os seus jovens negócios obrigou a organização a distribuir os interessados pelos dois dias da conferência. Quem nos explicou isto foi Sérgio Santos, um attendee que veio ao nosso encontro. Sérgio é programador no Bloco, um estúdio de programação, especializado em Android, e também dealer de revistas na Department.co, uma importadora de revistas independentes. Estava em Amesterdão pelo mesmo motivo que nós: curiosidade e interesse pela TNW Conference.

Sérgio indicou-nos os cantos à casa, que é como quem diz, levou-nos até duas das start-ups portuguesas presentes naquele dia: a UnykApp, uma aplicação que te dará descontos e cupões com base na tua localização e nas tuas marcas favoritas, e que permite aos comerciantes definir promoções para cada pessoa; e a Lapa, uma app que te promete ajudar a encontrar tudo, das chaves ao telemóvel e que já se mostrou noutras ocasiões como no Shark Tank Portugal.

tnwconf2_05

A tarde começou com Matt Ruby e o seu Vooza, uma espécie de grupo de comédia do qual é co-fundador e director. O Vooza é o “Porta dos Fundos” para geeks e aposta numa linguagem simples e directa. Todas as semanas há vídeos novos, entregues via e-mail a quem mostrar interesse no site. São, regra geral, sátiras aos clichés e manias das start-ups. Na TNW Conference, Matt Ruby revelou o secret sauce (e onde é que já tinhas ouvido esta expressão) de que uma start-up precisa para ser bem sucedida… mas será que podemos confiar nele?

Quando Matt Ruby se despedia do palco Entreperneur, Casey Neistat já se preparava para entrar no palco principal, intitulado Digital Inovation. Casey Neistat é daquelas pessoas que dispensa apresentações. É um youtuber com mais de 3 milhões de seguidores no seu canal e que todos os dias partilha um vlog – usando um estilo muito próprio, que já o caracteriza e que tem inspirado outros tantos criadores de conteúdo. É produtor de filmes de profissão, tendo feito vídeos para a Nike e outras marcas, autênticos sucessos na Internet.

Sentia-se uma ansiedadezinha no ar minutos antes da subida ao palco de Casey, como se o cabeça-de-cartaz estivesse prestes a actuar. E talvez Cassey fosse, de facto, a estrela da conferência. No dia anterior, o youtuber tinha sido desafiado a fazer wakeboarding nos canais de Amesterdão – uma prática proibida, claro, mas “fica tudo bem desde que depois se peça desculpa”, disse Boris no final da conferência de Casey. Foi tudo filmado e editado num dos vídeos que marcam esta edição da The Next Web Conference, com mais de 800 likes e 70 mil visualizações no Facebook, destaque no YouTube e o final esperado, segundo Casey: “Fomos apanhados pela polícia”.

Casey explicou como construiu o seu sucesso no YouTube e criou a sua carreira fazendo vídeos. O criador usou o seu exemplo para mostrar como os social media mudou a indústria de media, e como o poder e a influência estão a passar das mãos dos gigantes dos media para as mãos dos produtores individuais. Na TNW Conference, Casey mostrou à audiência dois vídeos que fez e que foram importantes na sua vida, cada um à sua maneira.

tnwconf2_06

tnwconf2_07

Ryan Holiday foi uma surpresa no palco principal – apesar do momento só permitir grandes actuações, o nome que subia ao palco não vinha de nenhum dos nomes sonantes da tecnologia. Pelo contrário, Ryan levou a filosofia até à conferência, numa espécie de bombardeamento. O jovem de apenas 28 anos é uma personagem incontornável no ecossistema de marketing digital, tendo sido um dos responsáveis pela notoriedade e presença de marcas como a American Apparel na Internet.

tnwconf2_08

A TNW Conference encerrou com Jason Fried, CEO do Basecamp, uma app de produtividade que permite colegas de trabalho trabalharem em conjunto em projectos, discutindo uns com os outros, organizando to-do lists e partilhando documentos. Na sua intervenção, Jason partilhou algumas dicas de produtividade. Com uma calma e um discurso contra-corrente, Jason Fried falou-nos de produtividade para falar sobretudo de bem estar no trabalho.

tnwconf2_09

O criador de uma das apps de gestão mais aclamadas, contou-nos alguns dos hábitos e regras imperativas para um ambiente de trabalho stress-free. Sem ser alarmista nem entrar em confrontos, chegou a usar Gary Vaynerchuck como uma referência antagónica à sua filosofia. Jason é uma espécie de geek conservador que deixa qualquer um motivado a rever a sua rotina e a seguir o seu exemplo: pouco espaço para o instantâneo, tudo leva algum tempo e não há mal nenhum nisso.

Esta mensagem final foi o mote perfeito para largar computadores e telemóveis e aproveitar os momentos finais da TNW Conference de cerveja na mão na zona de street food. Numa metáfora quase perfeita de balanço final de festival, um sol abrasador, cerveja fresca, água em garrafas ecológicas, e uma energia efervescente partilhada em conversas e trocas de contactos. A TNW Conference pode não ser a maior conferência de tecnologia do mundo mas é, definitivamente, a mais cool.

tnwconf2_10