Sketch da Porta dos Fundos sobre Lava Jato é dos vídeos mais “detestados” do YouTube


“Em terra de delator, quem tem boca fala o que sabe. Mas quem escuta faz o que quer.” É com este mote que a Porta dos Fundos, popular grupo de humor brasileiro, apresenta um dos seus mais recentes vídeos, “Delação”. Escrito por Fabio Porchat e protagonizado pelo mesmo em conjunto com Gregorio Duvivier, o sketch mostra um inspector da polícia federal brasileira ignorar por completo várias acusações de corrupção contra políticos do PSDB, mostrando-se, contudo, triunfante quando o nome “lula” é referido, ainda que completamente fora de contexto.

Isto tinha tudo para ser apenas mais um vídeo ao jeito que a Porta dos Fundos já nos habituou, assente numa sátira nua e crua, despreocupada em ferir suscetibilidades a dada altura, mas por norma divertida, bem-humorada e sem qualquer espécie de tento na língua. Excepto que com “Delação”, este não foi propriamente o caso, já que o vídeo toca num ponto sensível da actualidade política brasileira – as correntes investigações da polícia federal por corrupção, entre as quais o mediático caso Lava-Jato. Mais especificamente, a sátira do Porta personifica um argumento empregue mais pelos defensores do PT, que dizem haver uma espécie de “justiça seletiva” para com Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula da Silva, dando-lhes todo o destaque judicial e mediático para provocar uma eventual queda do governo enquanto o mesmo tratamento não é dado aos políticos da oposição.

Ora o vídeo não caiu nada bem entre os apoiantes deste último grupo e mais acérrimos defensores impeachment da presidente brasileira, que acusam a Porta dos Fundos de ser pró-governo e de gozar com o trabalho da polícia federal. Resultado de tudo isto? Num espaço de apenas 5 dia, “Delação” atingiu quase 5 milhões de visualizações e, à data da publicação deste artigo, um número impressionante de 519 mil reações negativas – ou “dislikes” – , catapultando o vídeo diretamente para a 20ª posição dos vídeos mais mal-amados na história do YouTube. A lista é encabeçada, por uma larga margem em relação a qualquer outro vídeo, pelo videoclip da malfadada “Baby”, de Justin Bieber, com um número esmagador de quase 6 milhões de “dislikes”.

Logo após a polémica em torno do vídeo ter rebentado, Antonio Pedro Tabet, outro conhecido membro da Porta dos Fundos, saiu em defesa do grupo de comédia numa longa publicação feita na sua página pessoal no Facebook. O humorista lamenta aquilo a que chama uma campanha de boicote ao grupo de comédia brasileiro, defendendo a importância da liberdade de expressão e relembrando que existem várias posições políticas distintas dentro do Porta dos Fundos e que todas elas podem ser fruto de sátira, como de resto se pode nos vídeos “Reunião de Emergência”, em que gozam com a indicação de Lula da Silva para ministro da Casa Civil do governo brasileiro.

Previous Esta animação dos Cinemas NOS é tão boa que quase nos faz desistir do filme
Next Quem é Luís Filipe Castro Mendes, o novo Ministro da Cultura?

Suggested Posts