‘Room’


Baseado no livro de Emma Donoghue, Room é um dos mais belos filmes que pudemos assistir dentro dos nomeados aos Óscares (e não só). Esse prémio já ninguém lhe retira. Room é um filme arrebatador não só na sua história mas também pelas suas interpretações.

Jack (Jacob Tremblay) vive com a sua mãe a quem chama carinhosamente “Ma” (Brie Larson) numa cabana desde que nasceu. Os dois vivem presos num espaço de dimensões reduzidas e são mantidos em cativeiro por Old Nick, um homem que sete anos antes da acção do filme raptou a mãe de Jack e que a viola desde então. De uma dessas vezes viria a nascer o dócil rapaz que, quando faz 5 anos, começa a questionar o que o rodeia.

Sem respostas para lhe dar que consigam satisfazer a sua curiosidade, “Ma” vê-se impotente para lhe transmitir a mensagem de que o Mundo não é apenas aquilo que ela sempre lhe transmitiu ser. É difícil para Jack imaginar que as pessoas na televisão não vivem apenas dentro do aparelho ou que há mais além daquilo que consegue ver através da clarabóia da cabana que sempre lhe limitou o crescimento.

room_02

Mas algo impossível de limitar é a imaginação e curiosidade de uma criança, que acaba por conseguir transmitir forças à sua mãe para tentarem fugir da clausura da sala a que chamam “room”. O dia chega mas nenhum deles estava preparado para lidar com a dura realidade do exterior. Jack e “Ma” necessitarão mais do que nunca um do outro. Não queremos contar mais sob pena de nos equipararmos à maioria dos trailers de hoje em dia que, na ânsia de cativarem o público, acabam por contar demasiado da história retirando-lhe assim alguma magia. O que vale é que Room tem magia de sobra.

Com uma soberba interpretação de Brie Larson, vencedora do Globo de Ouro para Melhor Actriz de Drama, é também o pequeno Jacob Tremblay – que nas pausas das filmagens adoravelmente aproveitava o tempo para brincar com os seus bonecos “Tranformers” – que nos arrebata o coração com uma das melhores interpretações que já vimos de uma criança (merecedora de uma nomeação). Como gente grande. Destaque ainda para Joan Allen que na sua discrição e sobriedade nos presenteia com uma interpretação de forte componente emocional.

room_03

Room é um filme comovente que faz com que a lágrima no canto do olho teime em forçar a saída. Brie Larson e Jacob Tremblay formam uma dupla adorável, numa dinâmica entre mãe e filho perfeita, emotiva e que facilmente nos chega ao coração. Um dos nossos favoritos mesmo que não ganhe nada na cerimónia de 28 de Fevereiro.