O auto-play chegou aos vídeos do Twitter

Temos de ser justos: o auto-play foi uma das melhores coisas que o Facebook recentemente impôs. Poder navegar por um News Feed cada vez mais cheio de vídeos e rapidamente ver se cada um deles nos interessa, sem ter de clicar no play, é óptimo. Claro que os cépticos demoraram mais tempo a habituar-se, mas para eles o Facebook disponibilizou uma opção para desligar o auto-play.

Hoje, o auto-play chegou ao Twitter.

A rede social dos 140 caracteres que também está a ser invadida por vídeos anunciou esta terça-feira que não só os vídeos nativos, como os GIFs e os vines vão começar a ter vida nas timelines – para já, só web e iOS; Android em breve.

Na prática, vais ver vídeos, GIFs e vines a mexerem-se na tua timeline, à medida que fazes scroll down. Sempre sem som. Se clicares no conteúdo, vais vê-lo em full-screen e com som (excepto GIFs, claro, porque não têm som).

twitterautoplay

Com este update, os vídeos, os GIFs e os vines vão aparecer “inteiros” na timeline, em vez de cortados.

Mais que melhorar a experiência, o Twitter espera com este update aumentar as receitas publicitárias através dos Promoted Videos. A empresa reclama, com base nos testes realizados à nova funcionalidade de auto-play junto de um grupo de utilizadores, que as pessoas preferem 2,5 vezes o auto-play ao método tradicional de click-to-play e que o brand recall em vídeos com auto-play é 14% superior aos outros formatos.

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
  • Jornalista, adepto de cidades humanas e curioso por ideias que melhorem o país. Co-fundei o Shifter em 2013, sou desde 2020 coordenador do projecto editorial Lisboa Para Pessoas.

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Artigos Relacionados

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Em teste

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt