O Nokia N1 é o tablet mais bonito que já vimos – a seguir ao iPad Mini


Em Novembro falámos-te do Nokia N1, um tablet Android extremamente parecido com o iPad Mini. O N1 está à venda apenas na China mas a Nokia quer lançá-lo noutros mercados este ano. Mostrou-o neste MWC 2015, em Barcelona, com algumas alterações ao software. Depois de o termos na mão durante alguns minutos, apaixonámos-nos: este é um dos tablets mais bonitos no mercado.

Sim, é bastante parecido com o iPad Mini da Apple e a Nokia vê isso como um elogio. Numa conversa com um porta-voz da marca, percebemos que houve uma preocupação maior na construção do hardware do que no desenvolvimento do software e dos serviços associados, uma vez que fazer estas 3 coisas bem não é – refere o mesmo porta-voz – fácil.

nokian1handson_02

nokian1handson_03

Se de frente o tablet não parece um iPad Mini (até porque não tem um home button), de trás e de lado – onde o alumínio domina – é impossível não entrar no jogo das comparações: o logo da marca, a câmara, os botões de on/off e de volume e as colunas estão no mesmo sítio que na concorrencia. O tablet até tem uma entrada para o novo USB Type-C, que adopta o mesmo conceito do Lightning e que por isso tem um aspecto semelhante.

Mas não tiremos o mérito à Nokia. A fabricante pegou num modelo de design que funciona, acrescentou-lhe boas especificações, o Android mais recente e um homescreen inteligente, mantendo o preço final do equipamento acessível.

nokian1handson_05

O Nokia N1 tem um ecrã de 7.9 polegadas com uma resolução de 2048 x 1536 pixels. O processador é um quad-core Intel Atom Z3580 de 2.3 GHz. O tablet tem ainda 2 GB de RAM, 32 GB de armazenamento interno (não há slot para microSD) e uma bateria de 5300 mAh. A câmara traseira é de 8 megapixels e grava vídeo 1080p; a frontal é de 5 megapixels.

Nesta versão melhorada que está a ser mostrada no MWC 2015, o N1 corre o mais recente Android 5.0 Lollipop com algumas alterações, trazidas pela a inclusão do Z Launcher (que pode ser desactivado). Esta interface permite duas coisas. Por um lado destaca no homescreen as apps que o utilizador mais usa num determinado contexto temporal e espacial.

nokian1handson_06

nokian1handson_07

No fundo, o software aprende o comportamento do utilizador, através de um algoritmo, facilitando o acesso àquilo que ele vai querer usar quando pega no tablet. Por exemplo, se passas as manhãs a ver e-mails e a ler notícias, o Z Launcher realça essas apps. Se à noite o que fazes é estar no Facebook ou no Netflix, vão ser essas apps que vão estar em destaque.

O Z Launcher não coloca só apps no homescreen. Se ligas todos os dias à hora do almoço à namorada, um botão “Call Ana” vai permitir-te iniciar imediatamente uma chamada com a tua cara metade.

A outra funcionalidade do Z Launcher chama-se “scribble search” e permite-te pesquisar apps desenhando letras no ecrã. Podes escrever o nome completo da app ou só uma letra. Por exemplo, se desenhares um “T”, o Z Launcher mostra-te o Twitter e outras apps começadas por essa letra ou com essa letra. Também te mostra os contactos cujos primeiros ou outros nomes começam por “T”.

nokian1handson_08

nokian1handson_09

O preço do Nokia N1 vai rondar os 250 euros. É definitivamente uma boa opção para quem procura um tablet bonito, “inteligente” e com a melhor e mais recente versão do Android, e acima de tudo acessível.

nokian1handson_10

nokian1handson_12

nokian1handson_11