Antepassado da nossa língua pode ter surgido na Rússia


Desde cedo que os seres humanos começaram a comunicar entre si, criando esquemas inicialmente simples que foram evoluindo para línguas. Actualmente, segundo o Ethnologue.com estima-se que existam 7106 línguas conhecidas.

Naturalmente que as várias línguas tiveram uma origem mais ou menos comum. O Proto-Indo-Europeu é o antepassado de cerca de 400 dialectos e línguas, algumas das mais faladas hoje em dia, nomeadamente as línguas latinas (português, castelhano, francês, italiano, romeno), o grego, o  inglês, o alemão e ainda o hindi. Há registos históricos desta língua desde há 3700 anos mas há uma grande discussão sobre quando e onde este idioma terá surgido.

evolucaolinguaseu

Duas hipóteses foram propostas para o  surgimento e desenvolvimento do Proto-Indo-Europeu. Uma que defende que a língua terá surgido há 9000 anos na Anatólia (actual Turquia) e daí ter-se-ia difundido para oeste juntamente com os avanços da agricultura. Outra hipótese aponta para uma data mais recente, entre 5000 e os 6500 anos, com berço nas estepes da Ucrânia e da Rússia a norte do Mar Negro e do Mar Cáspio e daí ter-se-ia expandido para oeste.

Recentemente dois estudos vieram apoiar a segunda hipótese, a hipótese da estepe ou também conhecida como hipótese Kruger. Os estudos tinham uma natureza diferente mas o mesmo propósito, o de identificar como teria surgido e depois difundido o Proto-Indo-Europeu. Um estudo baseou-se na análise linguística enquanto que outro procedeu a vários estudos genéticos para chegarem a esta conclusão.

A equipa de linguistas da Universidade de Berkeley, liderados por Will Chang, utilizou um modelo estatístico que avaliou a rapidez com que um grupo de 207 palavras se foi alterando em 150 línguas derivadas do Proto-Indo-Europeu ao longo do tempo. De acordo com a taxa de variação observada, verificou-se que as primeiras línguas começaram a divergir há cerca de 6500 anos atrás, uma data concordante com a hipótese da estepe. Estes resultados serão publicados em Março na revista Language.

O outro estudo levado a cabo debruçou-se mais especificamente na análise genética de indivíduos que habitaram na Europa há milhares de anos atrás, entre 3000 a 8000 anos. A equipa da Universidade de Harvard, chefiada pelos geneticistas David Reich e Iosif Lazaridis, ao comparar o DNA dos vários indivíduos e os locais onde teriam habitado, traçaram um padrão migratório que terá acontecido por volta da altura da expansão do Proto-Indo-Europeu, há 6500 anos. Nessa altura os povos Yamnaya habitavam as estepes da Rússia a norte do Mar Negro, até que por volta de 2500 a.C. (há 4500 anos atrás) se verficou um intenso fluxo migratório para oeste com o estabeleciemento de uma cultura descendente da Yamnaya, os povos da cerâmica cordada (Corded Ware People) que terão expandido a linguagem para ocidente, nomeadamente a actual Alemanha onde habitavam.

cordedware

Ao comparar a evolução de vários marcadores genéticos ao longo dos tempos e compará-los com a população europeia actual, a análise genética vem reforçar a chamada “descendência da estepe” que preconiza que a maioria dos europeus actuais tem a sua linhagem que remonta até estes povos, os Corded Ware People e Yamnaya, responsáveis pela expansão do Proto-Indo-Europeu.

(fonte: Science)