A quem vais confiar a tua conta de Facebook depois de morreres?

O Facebook permite-te agora criar uma espécie de testamento para a tua conta. Nas definições, podes indicar uma pessoa para tomar conta dela depois de tu morreres. Podes decidir se queres que essa pessoa descarregue uma cópia de tudo o que partilhaste na rede social ou se pretendes que a tua conta seja eliminada.

Quando uma pessoa morre, ela deixa um rasto na Internet difícil de apagar. As suas contas de Facebook, Google, Snapchat, Twitter… vão continuar activas se nenhum amigo ou familiar as eliminar. Muitas das vezes o defunto nem sequer deixa os acessos a essas contas, pois a morte é geralmente um acontecimento inesperado.

O Facebook, todavia, quer por-te em controlo total da tua conta para evitar que, depois de morreres, ela fique entregue ao abandono.

Nas definições de segurança, podes agora definir um Legacy Contact, isto é, escolher a que amigo ou familiar vais confiar a tua conta depois de morreres. Essa pessoa vai poder alterar a tua foto de perfil, responder a novos pedidos de amizade ou destacar um post que fizeste antes de morrer. Essa pessoa não vai poder ver as tuas mensagens, nem tão pouco publicar no teu perfil como tu.

fblegacycontact_02

Nessas mesmas definições, podes indicar se queres que a pessoa a quem a confiaste possa descarregar uma cópia dos teus posts, fotos e vídeos para arquivo e/ou se queres que a tua conta seja eliminada permanentemente pelo Facebook depois de morreres. Se optares pela não eliminação, o teu perfil será transformado num perfil de memória, com um “remembering” por cima do teu nome.

fblegacycontact_03

 

Esta nova ferramenta do Facebook vai ser disponibilizada, para já, aos utilizadores com a rede social em English (US). Se fores às definições da tua conta, deverás encontrar no separador a funcionalidade “Legacy Contact” nos próximos dias ou semanas.

Partilha nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
  • Jornalista, adepto de cidades humanas e curioso por ideias que melhorem o país. Co-fundei o Shifter em 2013, sou desde 2020 coordenador do projecto editorial Lisboa Para Pessoas.

Contribui para o Shifter para mais artigos como este:

2 €/mês

5 €/mês

10 €/mês

15 €/mês

Donativo

Artigos Relacionados

Junta-te à Comunidade
Jornalismo é aquilo que fazemos todos juntos. Entra na Comunidade Shifter e faz parte da conversa.
Sabe mais
Ainda em testes

Bem-vind@ ao novo site do Shifter! Esta é uma versão beta em que ainda estamos a fazer alguns ajustes.Partilha a tua opinião enviando email para comunidade@shifter.pt