Tony Fadell, o pai do iPod e a cabeça da Nest, vai decidir o futuro do Google Glass


O Google Glass que conhecemos morreu, mas o produto poderá ter um futuro dentro da gigante de Mountain View. A Google entregou a “pasta” do Google Glass a Tony Fadell, o patrão da Nest, e anunciou que vai encerrar na próxima semana o programa Glass Explorer, a iniciativa que dava aos programadores a possibilidade de comprarem uma unidade do produto por 1 500 dólares.

Tony Fadell, que controla a Nest – empresa comprada em 2014 pela Google –, vai decidir qual o futuro da realidade aumentada na Google e como aproveitar as conquistas até aqui feitas com o desenvolvimento do Glass em projectos futuros.

A Google parece comprometida em criar na mesma uns óculos inteligentes/de realidade aumentada (como lhe queiramos chamar), mas não quer que esses óculos sejam iguais ao Google Glass que hoje conhecemos.

A equipa que até aqui esteve a trabalhar no Glass dentro do laboratório Google X passará gradualmente a ser uma equipa independente, sob supervisão da gestora de produto Ivy Ross. Ivy e a sua equipa responderão, então, a Tony Fadell.

O actual Google Glass, disponível ao abrigo do programa Glass Explorer, deixará de ser vendido na próxima semana. Apesar de garantir suporte futuro, a Google terá agora de lidar com as reacções dos muitos programadores que adquiriam o produto, acreditaram nele e desenvolveram apps e software que aproveitasse as suas funcionalidades de realidade aumentada.

Uma coisa é certa: o Google Glass está morto – pelo menos aquele que conhecemos.