Queres vingar-te dos teus inimigos? Manda-lhes purpurinas, muitas purpurinas


Corre-te sangue preto nas veias quando vês uma pessoa que odeias? És fã do livro O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas? Se a vingança está apoderar-se do teu corpo, então tens de te livrar dela: envia purpurinas para os teus inimigos. É esta a premissa do serviço viral Ship Your Enemies Glitter.

A ideia é simples: há alguém que odeias e, por isso, queres uma vingança; a vingança é servida por esta empresa em nada mais nada menos do que purpurinas, num envelope, enviadas para a morada dessa pessoa. Usadas principalmente no Carnaval, as purpurinas são a praga das limpezas, espalhando-se por toda a casa e, por isso, facilmente dará dores de cabeça a quem as receber.

shipyourenemiesglitter_02

“Odiamos purpurina. Há pessoas que a comparam à herpes“, começa por explicar a Ship Your Enemies Glitter, que está certa de que “toda a gente tem uma pessoa na vida que odeia“. Ou seja, há clientes para este negócio. Juntamente com o envelope de purpurinas, a empresa envia uma nota onde tu podes dizer exactamente ao teu inimigo o porquê de enviares esta “prenda terrível“. “Pista: a nota está coberta de purpurinas, o que aumenta o desastre do cenário“, brinca a empresa australiana.

O ‘servicinho’ custa 9,99 dólares (Austrália; o preço desce para os 8,14 dólares nos EUA) e, para já, não se sabe até que países poderão as purpurinas voar. O pagamento é feito através do PayPal. Uma travessura que pode ser servida mesmo sem ser Halloween. A vingança é uma prato que se serve frio… neste caso, um prato com brilho.

Será que pregaram uma partida à própria empresa?

Até aqui, tudo parece um mar de rosas, mas o feitiço pode ter-se virado contra o feiticeiro: Mathew Carpenter, de 22 anos, criador da Ship Your Enemies Glitter, disse já estar farto no Product Hunt: “Olá, pessoal. Sou o fundador do website Ship Your Enemies Glitter. Por favor, parem de comprar este horrível produto. Estou farto de lidar com isto. Sinceramente, Mat“, escreveu o empreendedor com remorsos.

Segundo o site oficial, a compra do serviço foi temporariamente suspensa. “Vocês têm um fascínio doentio em encomendar purpurinas. Recebemos todos os pedidos e estamos a trabalhar neles. Foram bastantes por isso sejam pacientes“, alerta a empresa australiana. É este o poder do comércio online.

O sucesso é visível, como mostrou Carpenter no Twitter:

Completamente dentro de uma espiral sem controlo, Carpenter tem agora de lidar com um produto que já conta com mais de 80 mil partilhas no Facebook, assim como um site que já foi abaixo (Carpenter pediu à empresa responsável pelo servidor por mais capacidade) com mais de mil comentários.
De acordo com o site Fast Company, o empreendedor australiano não está ainda a “divertir-se” com o produto, mas este é um produto com elevada rentabilidade: “o Glitter é um produto com margens de lucro muito elevadas“.