NSA infiltrada nas redes da Coreia do Norte desde 2010


Já muita tinta correu sobre a guerra informática entre EUA e Coreia do Norte. Apesar de polémicas recentes, esta é uma briga antiga e um artigo publicado pelo The New York Times vem provar precisamente isso.

De acordo com o jornal, os serviços secretos norte-americanos estão infiltrados nas redes da Coreia do Norte desde 2010 e é por isso mesmo que afirmam com certeza que foram hackers norte-coreanos a realizar o ciberataque à Sony Pictures.

O NYT avança que a Agência de Segurança Nacional norte-americana – NSA – conseguiu penetrar as redes da Coreia do Norte através de redes chinesas e malaias e com a ajuda da Coreia do Sul e outros países aliados. Essa informação terá sido confirmada ao jornal por antigos funcionários da agência. A juntar aos depoimentos, o artigo do The New York Times também cita vários peritos internacionais em segurança e um documento da NSA ao qual teve acesso.

Foi com base nas informações dos serviços secretos que Barack Obama acusou publicamente Kim Jong-un e que os Estados Unidos aplicaram novas sanções económicas à Coreia do Norte. A juntar a isso há o facto da maioria dos hackers da Coreia do Norte trabalharem para o governo. Segundo estimativas da Coreia do Sul, o grupo encarregue de planear e concretizar os ataques definidos pelo regime é composto por cerca de 6 mil homens.

Apesar das ameaças feitas pela Coreia do Norte relacionadas com a estreia do filme “The Interview”, os serviços secretos norte-americanos não conseguiram prever o ataque. Ainda assim, depois de analisadas as movimentações informáticas dos hackers norte-coreanos, a NSA concluiu que os piratas informáticos passaram mais de dois meses a mapear os sistemas da Sony. Segundo as autoridades, não foi imediato mas também não foi difícil chegar a essas conclusões: “Figuring out how to respond was a lot harder”.

Previous A Pepsi abriu o ano com uma gigante reacção em cadeia
Next Sobre os chaços velhos anteriores a 2000