Este smartwatch da Alcatel é bonito, barato e funciona com telemóveis Android e iOS


No CES 2015, a Alcatel não mostrou apenas um telemóvel capaz de correr 3 sistemas operativos diferentes. Apresentamos-te o Watch, um elegante smartwatch de 150 dólares que é compatível com telemóveis iOS e Android.

O Alcatel Watch tem um ecrã redondo (tal como o Moto 360), que lhe confere a mesma aparência e sensação de um relógio tradicional. Mas o mais notável neste smartwatch é o facto de funcionar tanto com um iPhone como com um telemóvel Android – uma característica muito rara na concorrência.

O Watch liga-se ao telemóvel através de uma app própria, permitindo a partir dela gerir praticamente tudo o que o relógio faz. É possível definir que notificações pretendes receber no Watch, que dados de saúde queres que ele recolha e que fundo gostas de ver no ecrã. Com um telemóvel Android, podes receber no relógio notificações de qualquer app. Já no iOS, estás limitado às apps nativas de mensagens e de mail; a Alcatel promete, no entanto, suporte para apps de terceiros no futuro.

alcatelwatch_01

Como qualquer smartwatch, o Watch serve para recolher informação de fitness e saúde do utilizador. O relógio está equipado com um medidor do ritmo cardíaco, um acelerómetro, um giroscópio, um altímetro e um compasso. É capaz de medir ciclos de sono, passos, distância percorrida, calorias queimadas…

O Alcatel Watch serve também para não perderes o telemóvel de vista. Se te afastares demasiado dele, o Watch vibra. E se não souberes onde está, podes usar o relógio para fazê-lo tocar.

A bateria do Alcatel Watch dura pelo menos 2 dias, garante a fabricante. O relógio é carregado através da porta UBS cuidadosamente escondida na pulseira.

alcatelwatch_02

O Alcatel Watch custará 149 euros e estará disponível a partir de Março. O relógio pode ser uma boa opção para utilizadores iOS que procurem uma alternativa mais económica ao ainda-por-lançar Apple Watch de 349 dólares.

Previous Uma app, um iPad, milhares de filmes e séries à borla
Next A resposta da Google ao AirPlay da Apple não poderia ser melhor