A selfie da filha de Obama que não é suposto estar na net


Malia e Natasha Obama não podem ter as redes sociais que querem e partilhar as fotos que querem sem a autorização prévia dos pais, Michelle e Barack Obama. A Casa Branca exerce um controlo apertado sobre todas as aparições públicas (internet incluída) das duas adolescentes da família.

Na semana passada, os Pro Era, um dos principais nomes da nova escola do rap americano, que integra o novo movimento Beast Coast, partilharam uma fotografia da filha mais velha de Obama, Malia, na sua conta de Instagram. “Malia Obama rocking that classic Pro Era tee! Make sure you get your official Pro Era gear from theproera.com!”, lê-se na descrição da imagem, que recebeu mais de 5 mil likes e de 500 comentários.

Poderíamos estar a falar de uma simples acção promocional com recurso a uma figura pública se a fotografia em questão tivesse sido autorizada pela Casa Branca. O problema é que Michelle e Barack Obama não tiveram conhecimento da foto da filha de 16 anos.

A Casa Branca está agora a investigar como é que a fotografia de Malia foi parar às redes sociais. Joey Bada$$, de apenas 19 anos, é o elemento mais popular e o rosto do colectivo Pro Era – que integra outros 15 elementos ligados à música e cerca de 45 das mais diversas áreas –, disse ao site Gawker que obteve a selfie por intermédio de um “amigo comum”.

Pro Era

Os Pro Era são um colectivo de hip hop norte-americano, de Brooklyn, formado em 2009 por Capital STEEZ, Joey Badass, CJ Fly e Powers Pleasan, na altura todos jovens amantes do rap e a maioria estudante na mesma escola.  Desde esse ano até hoje, treze novos músicos juntaram-se ao colectivo que conta com dois momentos tristes na sua história. Em 2012, na noite de Natal e após uma fase marcada por comportamentos estranhos, Capital Steez – um dos elementos fundadores do grupo e um dos rappers mais promissores – suicidou-se, atirando-se de cima do prédio da editora com quem tinham acordo na altura. Recentemente, no final de 2014, o colectivo perdeu mais um membro: Junior B.

Apesar da morte prematura, Steelo (como era conhecido entre os membros do colectivo) é ainda hoje uma das principais figuras desta história. Foi o arquitecto do movimento Beast Coast (juntou Flatbush Zombies, The Underachievers e Pro Era, em prol de um movimento comum) e deu o mote ao que hoje são os Pro Era. O jovem suicidou-se na noite de Natal, após uma fase muito conturbada da sua vida. O final trágico ficou marcado por um tweet:

Os Pro Era – ou Progressive Era, na versão extensa – têm uma postura rebelde e a roçar o anti-capitalista, um comportamento normal entre os grupos de rap. O grupo é frequentemente mal interpretado. Veja-se, por exemplo, a forma como o seu logo é visto. A cruz dentada, muitas vezes associada ao símbolo nazi, é, na verdade, um símbolo que pretende representar o equilíbrio dos chakras 4 e 7. Este símbolo foi criado e popularizado por Capital Steez antes de se tornar símbolo do colectivo; Capital espalhou autocolantes com o 47 pela cidade de Nova Iorque e chegou mesmo a ser alvo das atenções da polícia.

A polémica com a selfie da filha de Obama surge numa altura em que Joey B4da$$ se prepara para lançar um dos álbuns mais aguardados para 2015.