3,4 milhões de tweets com a hashtag #JeSuisCharlie


A resposta da Internet ao violento ataque à redacção do Charlie Hedbo, que aconteceu esta quarta-feira, foi muito rápida. A hashtag de solidariedade para com o jornal satírico e de defesa da liberdade de imprensa, #JeSuisCharlie, surgiu logo nos primeiros minutos e, ao fim de 24 horas, já estava em mais de 3,4 milhões de tweets em todo o Mundo.

Os dados são do próprio Twitter, que já considera esta hashtag uma das mais populares de sempre na rede social.

Neste mapa interactivo, podes ver os tweets #JeSuisCharlie a aparecerem desde as 10:59 de quarta-feira (dia 7) até às 2h58 de quinta (horas de Lisboa):

#JeSuisAhmed

Um dos polícias franceses que foi brutalmente morto com um tiro na cabeça ao tentar parar o atentado chamava-se Ahmed Merabet, tinha 41 anos e era muçulmano. Ahmed trabalhava na esquadra da polícia perto da redacção do Charlie Hebdo, protegendo o direito desta de ridicularizar a sua religião.

O activista político árabe Dyab Abou Jahjah tweetou: “Não sou Charlie. Sou Ahmed, o policia morto. Charlie (Hebdo) ridicularizou a minha fé e cultura e morri defendendo o direito de o fazer.”

São muitos os que através do Twitter caraterizam Ahmed como “herói” e “defensor da fé”: