Zuckerberg explica a ausência de um botão “dislike” no Facebook


Mark Zuckerberg promoveu ontem, nos escritórios do Facebook em Menlo Park, uma segunda sessão de perguntas e respostas aberta ao público. O fundador da maior rede social do mundo abordou vários temas, entre eles a inexistência de um botão “dislike”.

Zuckerberg deixou bem claro que nunca existirá um botão “dislike” no Facebook, mas que a sua equipa está a pensar numa forma de dizeres que “não gostas” de algo na rede social. O fundador diz que o “like” tem o seu valor e serve para dizer quando gostamos de algo, mas reconhece que ele não satisfaz todas as necessidades emocionais humanas.

Na verdade, há posts que dizem respeito a “coisas tristes” (uma morte, uma doença, um fim de namoro…) e nos quais os utilizadores não se sentem confiantes a usar o “like”. O Facebook quer, assim, trabalhar em formas de permitir às pessoas expressar os seus sentimentos reais relativamente a um post.

Ouve tudo o que Zuckerberg disse sobre este tema:

Ao longo da sessão, Mark Zuckerberg respondeu a muitas mais perguntas, abordando assim outros assuntos. Por exemplo, o executivo não concorda com a afirmação de que o Facebook é uma “perda de tempo”, contrapondo que é algo “importante para o mundo” e que ajuda a conectar amigos e famílias. Aliás, segundo Zuckerberg, o Facebook ajuda a manter relações entre pessoas, pois permite estar com contacto com amigos e familiares que não conseguimos ver todos os dias.

Zuckerberg falou ainda de sucesso. Diz que o facto de ser proactivo e de tentar fazer as coisas o ajudaram a vingar, mas lembrou que ninguém é perfeito e que os erros fazem parte do processo de aprendizagem. O fundador do Facebook referiu ainda que é preciso tempo para fazer algumas coisas mudarem e que é preciso aproveitar esse tempo se queremos que elas mudem mesmo.

Esta foi a segunda sessão de perguntas e respostas do fundador do Facebook. A primeira foi no início do mês de Novembro.