Pintar pelo fim da violência contra as mulheres


12 dias em Itália, 10 dias a pintar. 30 litros de tinta plástica e 35 latas de spray. Frederico Draw está de volta a Portugal após um excelente trabalho desenvolvido em Itália. O artista foi convidado a apresentar cinco murais no âmbito do Dia Mundial pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres, que se assinalou a 25 de Novembro.

Memorie Urbane é o nome do festival que defendeu esta nobre causa e que acolheu o jovem portuense nas cidades de Caserta, Arce, Gaeta, Formia, Fondi e Terracina.

Gaeta foi a primeira cidade a receber um mural com um rosto feminino em grandes dimensões. Em tons de preto e branco, como já é costume do artista, Frederico Draw encaixou perfeitamente no país que lançou a técnica do chiaroscuro.

A serigrafia que esteve para venda para ajudar no financiamento de todas as despesas extra do artista é baseada num sketch a esferográfica. É mais um rosto feminino e expressivo, embora a gama cromática esteja embebida em tons mais claros como o verde menta. Tem a dimensão de 50x70cm e relembra a técnica de aguarela sobre papel que lhe confere um estilo ainda mais delicado.

Esta pequena obra prima continua disponível para venda em www.streetartplace.com embora restem apenas 3 exemplares dos 49 produzidos.

Frederico Draw não deixou no entanto de descansar no pouco tempo livre que lhe restou e é possível ver na sua página pessoal de facebook os vários stickers que foi deixando por terras italianas. “Os primeiros dias foram dedicados quase que exclusivamente às pinturas… No entanto, no pós-trabalho havia sempre uma boa jantarada e convívio com as diferentes associações que nos foram recebendo em cada cidade. Nos últimos dias ainda conseguimos estar por Roma onde conhecemos umas pessoas ligadas à street art e que nos deram a conhecer uma Roma que desconhecíamos dos livros e dos postais turísticos. “

O feedback da organização e de todo o público e staff que foi acompanhando esta jornada do português parece bastante positiva. Reabilitação e sensibilização foram as palavras de ordem para este projecto. Acreditamos que Frederico Draw terá dado mais que isso.

Para os seus fãs, o adjectivo mais usado para classificar o trabalho realizado em Itália foi “sublime“. Em resposta, o artista promete que o seu trabalho continuará além fronteiras “Voltei com vontade de viajar mais e ir deixando peças minhas fora de Portugal. Na primavera volto a Itália para pintar”.

drawviolenciamulheres_02

drawviolenciamulheres_03

drawviolenciamulheres_04

drawviolenciamulheres_05

drawviolenciamulheres_06

drawviolenciamulheres_07

drawviolenciamulheres_08

drawviolenciamulheres_09

drawviolenciamulheres_10

drawviolenciamulheres_11

drawviolenciamulheres_12

drawviolenciamulheres_13

drawviolenciamulheres_14

Previous 9 locais por onde o Super Bock Super Rock já passou
Next Chegou o fantástico vídeo de Vhils para os U2