Luz verde para a construção do maior telescópio do mundo


O conselho do Observatório Europeu do Sul anunciou ontem que deu luz verde para a construção do maior telescópio do mundo. Chama-se E-ELT – European Extremely Large Telescope – e vai ser contruído no Chile, no topo da montanha Cerro Armazones situada no Deserto do Atacama. A conclusão do projeto está prevista apenas para 2024, mas a notícia da construção de telescópio está a deixar a comunidade astronómica num estado de grande entusiasmo.

Tim de Zeeuw, diretor-geral do Observatório, referiu em comunicado que este é o mais poderoso de todos os telescópios de larga proporção a ser planeados atualmente. de Zeeuw diz que já existem progressos no topo da Cerro Armazones, deixando o mote  “the next few years will be very exciting”.  Vamos aos pormenores.

Construção do telescópio avança

Importa ressalvar antes de mais que esta é apenas a primeira fase da construção do E-ELT, e que foi apenas esta que foi, por agora, aprovada. O projeto é composto de duas fases, a primeira envolvendo a construção da estrutura do telescópio e das suas funcionalidades essenciais, permitindo que este seja operacional, e uma segunda que envolve a construção de algumas atualizações e equipamentos de suporte, que permitem aumentar a eficiência do telescópio.

maiortelescopiomundo_02

Para dar luz verde ao início do projeto, o Observatório Europeu do Sul havia decidido em 2012 que antes teria de conseguir angariar 90% do custo total da primeira fase. A entrada como estado-membro da Polónia no Observatório foi decisiva para atingir o marco dos 90%, situando-se o custo total da construção principal do telescópio em sensivelmente 1 bilião de euros. Os fundos para a segunda fase do projeto serão avaliados posteriormente, mas espera-se que a futura entrada do Brasil como estado-membro do Observatório cubra parte dos custos. De referir que Portugal é um dos 15 países (16 com o Brasil) que atualmente suporta o Observatório Europeu do Sul.

Para o infinito e mais além

O entusiasmo do diretor-geral do Observatório Europeu do Sul é fundamentado. O E-ELT será uma estrutura de 39 metros com potentes funcionalidades ópticas e de infravermelhos que pode abrir várias portas nos mais variados campos científicos. O telescópio, que diz o Observatório que vai ser o maior “olho no céu” de todo o mundo, está equipado com uma potência de alcance e sistema de recolha de luz superiores, que estima-se que possibilitem várias descobertas e avanços científicos, em particular no estudo de exoplanetas e da composição estrelar das galáxias. Também poderá ser decisivo para o estudo de Matéria Negra, um dos grandes mistérios do campo da astronomia.

maiortelescopiomundo_03

São, de facto, tempos de grande entusiasmo para a observação interestelar. A par do início da construção do European Extremely Large Telescope, o Observatório Europeu do Sul tem outros projetos igualmente promissores para a próxima década. Destacam-se o GMT (Giant Magellan Telescope) e o TMT (Thirty Meter Telescope), dois telescópios de grande proporção com bastante menor potência que o E-ELT mas diferentes funcionalidades que decerto contribuirão em igual parte para o estudo do universo.