Parlamento Europeu pressiona Comissão para dividir Google ao meio


O Parlamento Europeu aprovou esta quinta-feira uma resolução, sem carácter vinculativo, que pressiona a Comissão Europeia a avançar com medidas que assegurem a neutralidade dos serviços de busca e que podem passar por dividir a Google ao meio, separando o motor de pesquisa dos restantes serviços.

É óbvio que um processo de separar a Google transcende um pouco a Comissão Europeia, mas o apelo do Parlamento tem um objectivo claro: “prevenir qualquer abuso na promoção de serviços interligados por parte dos operadores de motores de busca”. No fundo, os deputados europeus pedem a neutralidade dos motores de busca, isto é, “a indexação, avaliação, apresentação e ordenação [dos resultados das pesquisas] por parte dos motores de busca deve ser imparcial e transparente”. E arriscam a separação dos motores de busca “de outros serviços comerciais como uma potencial solução de longo prazo para atingir as metas mencionadas”.

Apesar de a resolução – aprovada com uma maioria de 384 votos contra 174 (além de 56 abstenções) – nunca referir a Google, é claro que esta é a empresa visada, dado ser o motor de busca dominante em território europeu, com cerca de 90% de quota de mercado.

O pedido de dividir a Google ao meio faz parte de um documento bem mais abrangente sobre o mercado digital, que também aborda questões como a neutralidade da Internet e a extinção das taxas de roaming na Europa.

De referir que a Comissão Europeia tem há já 4 anos em curso uma investigação relacionada com a forma como a Google integra nas páginas de resultados dos seu motor de busca outros serviços da empresa, como o Google Maps.