O ano em que descobrimos os próximos


O primeiro ano é talvez o mais especial. É aquele em que damos os primeiros passos, contactamos com as primeiras pessoas, cometemos os primeiros erros e descobrimos as primeiras vitórias.

O Shifter comemora hoje o seu primeiro aniversário.

O parto foi complicado. O Shifter não foi planeado e nasceu da morte forçada de um projecto anterior. A 25 de Novembro de 2013, o domínio shifter.pt abriu pela primeira vez os olhos, mas só uns dias mais tarde ganhou cor e rosto. Recebeu pouco depois as primeiras visitas e começou a travar as primeiras amizades.

Pode dizer-se que foi um primeiro ano incrível. Fez a sua primeira grande viagem logo em Fevereiro, quando foi a Barcelona conhecer os últimos gritos da tecnologia móvel. Perdeu o medo do microfone em Março, graças à Xana Alves que o convidou para o seu novo programa Da Missa A Metade. Ganhou uma nomeação honrosa nos Prémios Novos. Passou a ser uma marca registada e um órgão de comunicação social reconhecido pela ERC. E andou pelo Curto Circuito da SIC Radical.

Neste primeiro ano, esteve atento às movimentações do mercado tecnológico, correu tudo o que se passou na web, acompanhou de perto as novidades das marcas, viu filmes, leu livros, ouviu música, e não largou as últimas da ciência. Entrevistou o Gonçalo M Tavares, vibrou (à sua maneira) com o Mundial, foi à inauguração da primeira grande exposição do Vhils, mudou-se para a Figueira da Foz para acompanhar de perto o FUSING, viu o iPhone a ficar maior, acompanhou os protestos estudantis em Hong Kong e mostrou uma visão diferente de Lisboa com a ajuda da Uber.

Neste primeiro ano, o Shifter cresceu e a sua equipa cresceu com o Shifter. De 5 ou 6 passámos a 29 ou 30. Uma equipa com uma vontade comum e um talento singular. Uma equipa que acreditou num projecto de coração e que se empenha todos os dias a fazer aqui aquilo de que mais gosta. Temos designers, programadores, criativos, fotógrafos, colunistas e repórteres. Somos muitos a fazer diariamente o Shifter, mas são ainda mais aqueles que o acompanham. Praticamente 12 mil no Facebook; e no site tivemos este mês a nossa melhor afluência de sempre. Números que nos deixam contentes, mas não satisfeitos.

O Shifter é hoje um adulto acabado de sair da adolescência. Já fez as primeiras descobertas, teve os primeiros namoros e está agora pronto para entrar numa relação mais séria e comprometida. Ao longo destes primeiros 12 meses, criámos e solidificámos estruturas. Hoje, o Shifter tem uma marca pensada, tem um plano editorial bem delineado e um modelo de negócio que começa a estar cada vez mais definido.

Hoje, o Shifter é um projecto editorial. Uma marca editorial que procura impulsionar novos artistas, de música, de literatura, de arte urbana, de cinema…; e ainda fomentar novas ideias, apareçam elas em campanhas de crowdfunding ou em startups. O Shifter é um site de tecnologia, cultura e entretenimento. O Shifter é um espaço de opinião, livre e fundamentada. O Shifter é uma comunidade de mais de 400 mil pessoas, espalhadas pelo site, pelo Facebook, pelo Twitter e pelo Instagram. O Shifter é uma geração: uma geração que quer estar informada 24/7, que está hiper-conectada digitalmente, que tem medo de ficar de fora e que, por isso, está sempre exposta e presente.

É incrível olhar para estes 12 meses que passaram. Foi um ano em que descobrimos o que podemos fazer no próximo. O Shifter só é aquilo que é hoje graças a todos os que o lêem, o partilham e o comentam. É por isso que pedimos que partilhem connosco o que vos vai na alma. Uma crítica, um elogio, o que gostam, o que não gostam, o que queriam ver ou o que queriam deixar de ver. Façam-no em shifter.pt/1ano.

2015 promete ser um ano promissor. Estamos entusiasmados. Prometemos novidades logo no início do ano.